sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Está Tudo na Cabeça, de Alastair Campbell - Opinião [Bizâncio]

Título: Está Tudo na Cabeça
Título Original: All In the Mind
Autor: Alastair Campbell
Editora: Editorial Bizâncio
Ano de Publicação: 2010
Páginas: 352

Terceiro livro de Alastair Campbell que li e, depois do sucesso dos outros dois, estava com expectativas altas para este. Mais uma vez, o autor revelou-se um excelente contador de histórias, capaz de pegar em temas delicados e trazê-los para as suas páginas com a coragem de quem agarra o touro pelos cornos. Confesso que estava com algum receio de ler o livro, pois pensei que à terceira ia ser de vez, que o terceiro livro não me iria agradar tanto, ou não seria tão bom. Superstições tolas.

Está Tudo na Cabeça conta a história de Martin Sturrock, um psiquiatra cujo dever é ajudar os outros - no entanto, é ele próprio que precisa de ajuda, afundando-se no seu mar de problemas. Apesar de não conhecer o dilema por perto, imagino que seja uma sensação terrível de se ter, estar na pele de quem deve ajudar, de quem deve salvar, apenas para ser o próprio a precisar de ajuda e salvação. E é isto que eu queria dizer: eis Alastair Campbell, a olhar o problema bem nos olhos.
Penso que este livro peca apenas pela quantidade de personagens e histórias que engloba. Na minha opinião, as histórias de David e de Ralph bastavam, pois tinham pano para mangas e assim enchiam as páginas. "Encher páginas" foi precisamente o papel que atribui às restantes personagens, pois foi essa a sensação com que fiquei, que apenas existiam para criar volume. Cada uma diferente e com uma história marcante, mas era demais. A mente de David e o vício de Ralph, a par com os problemas de Martin, tinham sido o necessário para criar uma narrativa fantástica e completa. Continua a ser boa, mas tem elementos a mais. O final do livro é algo expectável, mas, com tanto a acontecer, ainda havia esperança de que as coisas tomassem outro rumo. Apesar de triste, é o melhor fim que a história poderia ter, pois torna-a definitivamente mais interessante e memorável.

Como disse anteriormente, Alastair Campbell sabe contar histórias. Não conheço o percurso pessoal e profissional do autor para saber em que se baseiam as suas palavras, mas a verdade é que conseguimos encontrar nelas uma profundidade quase chocante, como se lidar com estes assuntos seja o dia-a-dia do escritor. Seja o que for, funciona - Campbell cria tramas que envolvem o leitor a vários níveis, mantendo-o colado a cada palavra, a cada folha. E este foi o seu primeiro romance!

É sempre um prazer ler os livros de Alastair Campbell. É um livro com 6 anos. Era actual há 20 anos atrás. Será actual daqui a 20 anos. O autor escreve o que é intemporal, e Está Tudo na Cabeça é mais uma prova do seu inegável talento, uma história trágica e memorável, que certamente irá tocar nos demónios pessoais de muitos leitores, de uma forma que só o autor o sabe fazer.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Os Limites do Encantamento, de Graham Joyce - Opinião

Os Limites do Encantamento
Título: Os Limites do Encantamento
Título Original: The Limits of Enchantment: A Novel
Autor: Graham Joyce
Editora: Bizâncio
Ano de Publicação: 2005
Número de Páginas: 328

Já há muito tempo que queria ler este livro de Graham Joyce. Depois de duas experiências fantásticas com o autor, pude finalmente ler esta obra, e as expectativas eram imensas. Se calhar, foi por isso que Os Limites do Encantamento não me conquistou por completo. Eu esperava algo que me abalasse, me deixasse sem ar depois da leitura, e não foi isso que aconteceu. Malditas expectativas!

A história é... interessante, no todo. Embora eu esperasse um ambiente mais rústico e medieval, somos transportados até à década de 60, onde as então inovações e avanços científicos ameaçavam acabar com as tradições da medicina tradicional e popular. Seguimos de perto o dia-a-dia de Fern, filha de uma curandeira, e a sua luta com o estigma de ser quem é, a diferença na sua educação e os seus demónios pessoais. Esperava algo mais mágico, e não a forma como Fern cresce e se desenvolve, a forma como aprende a ver o mundo à sua volta, a sua descoberta enquanto mulher, enquanto adulta e enquanto pessoa. Esperava algo mais... encantado.
A própria Fern também ficou aquém de me apaixonar. Não é fácil de criar empatia com a personagem, pois é bastante ingénua e, mesmo contextualizando a época, não senti aquela ligação, não me senti próxima da sua vida.
No entanto, estamos a falar de Graham Joyce - e o autor nunca desilude. Estamos perante uma história escrita no masculino e narrada por uma voz feminina, e em ponto algum a raiz máscula do autor vem à superfície. A forma como se liga com cada uma das personagens, como as faz viver através das páginas... A Mammy Cullen, uma personagem fantástica. E depois temos toda uma parte da história em que o real e a magia se misturam e nos confundem, testando os nossos próprios limites do encantamento. Para que lado pendemos nós, leitores?

Apesar de não considerar o seu melhor livro, Os Limites do Encantamento vale bem a pena uma leitura. Graham Joyce é um autor que nunca desaponta, com magia nas palavras e narrativas fortes - um escritor que, definitivamente, é de leitura obrigatória.

Top Ten Tuesday #58

Imagem daqui

10 livros que ficaram por ler na estante

O TTT desta semana refere-se a livros que compramos antes de começarmos uma vida na blogosfera. No entanto, não vou poder cumprir o requisito a 100%, pois o nascimento do blogue coincidiu com a redescoberta da leitura na minha vida. Nunca deixei de ler, mas lia muito pouco, e comprar livros era ainda mais raro - quando os comprava, lia-os logo.

Só 10? Vamos aos 10 primeiros que encontrar :)

1. Factor Tangent, de Lawrence Sanders
2. Laranja Mecânica, de Anthony Burgess
3. O Outono em Pequim, de Boris Vian
4. Observações, de Jane Harris
5. Os Filhos de Anansi, de Neil Gaiman
6. Os Adivinhos, de Libba Bray
7. Filhos e Amantes, de D.H. Lawrence
8. O Vampiro, de Tom Holland
9. A Sombra Sobre Lisboa, vários autores
10. Belinda, de Anne Rice

Factor TangentLaranja MecânicaO Outono em PequimObservaçõesOs Filhos de AnansiFilhos e AmantesOs AdivinhosO Vampiro - A História Secreta de Lorde ByronA sombra sobre LisboaBelinda

E mais... muitos mais...

E vocês?

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

A Ler: O Toque da Vampira, de Christine Woodward

O Toque da Vampira
Título: O Toque da Vampira
Título Original: Rogue Touch
Autora: Christine Woodward
Editora: Novo Século
Ano de Publicação: 2014
Número de Páginas: 279

Anna Marie é uma garota estranha. Ela se veste... de maneira diferente: coberta dos pés à cabeça, sendo seu rosto a única pele à mostra. Mas ela não tem escolha. Sua pele, seu toque, é uma arma mortal que deve ser escondida. Um acidente leva Anna Marie a fugir para o Mississippi. Lá ela conhece James, e tudo muda. Ele é simplesmente igual a ela: solitário, e também em fuga. Para escapar da misteriosa e perigosa família de James, a dupla põe o pé na estrada e, à medida que atravessam o país, passam a compartilhar seus passados repletos de segredos.