Obscura, de Dark Gero - Sinopse

janeiro 30, 2013



Agradeço profundamente à Mónica e à Nefertari pelas sugestões que me deram para autores começados por D... Mas não me conseguia decidir! Quando já estava mesmo perto de me decidir, descobria mais qualquer coisa de um dos onze autores sugeridos que me fazia repensar tudo...
Decidi-me então por outro. Obscura, de Dark Gero!


""A maca com o lençol sujo de sangue, que antes estava vazia, agora tinha contornos de um corpo... Havia alguém sob o lençol!

Seu coração batia forte enquanto se aproximava da maca. O corpo não estava ali antes. De quem era, então? Suas pernas estavam bambas. Seu coração acelerou ainda mais. A luz da lanterna tiritava como sua mão.
Levou a outra mão trêmula até o lençol.
Os pêlos de sua nuca se arrepiaram totalmente.
Puxou o lençol."

Nestes seis contos apavorantes você vai encontrar o medo em suas diferentes facetas. Histórias asssustadoras, emocionantes e surpreendentes, recheadas de suspense de tirar o fôlego que farão com que não largue este livro até chegar à última página!"

Quando acabar de ler o livro, com certeza terei imenso a dizer, tendo em conta algumas opiniões e mitos que vi por aí... 

You Might Also Like

4 comentários

  1. A capa desse livro é perturbadora O.o
    Fico à espera da tua opinião, parece ser uma boa leitura para quem gosta de terror :)

    ResponderEliminar
  2. A capa foi precisamente uma das coisas que me chamou a atenção :)
    No entanto a experiência não está a ser muito boa... -.-' Li 3 contos até agora, ou seja, vou mais ou menos a meio, e só houve um em que se aproveitava qualquer coisa, os outros dois... nem por isso :)
    Vou voltar à leitura com a Mesa Real :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Eu li o livro há um tempo. De fato os primeiros contos não são muito assustadores, nem tão bem escritos quantos os três últimos, especialmente os dois últimos. Pelo que li por aí, os primeiros contos ele havia escrito há anos em um fanzine, e quando resolveu escrever o livro, criou os contos novos, visivelmente mostrando sua evolução como escritor. Eu particularmente achei pavoroso o conto Obscura, e cheguei a chorar com o último, Arlequim :D Sim, o último conto é bem triste e nem mesmo é terror.

    Ah, adorei seu blog. Parabéns!

    ResponderEliminar
  4. Olá!

    Não sabia dessa "divisão" dos contos, ou seja, que os primeiros eram mais antigos. Concordo contigo, vê-se realmente uma evolução na escrita e na temática.

    Obrigada pelas palavras =)

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.