domingo, 3 de março de 2013

[DESAFIO LITERÁRIO I] A Casa dos Espíritos, de Isabel Allende - Opinião

A casa dos espíritos


Título: A Casa dos Espíritos
Título Original: La Casa de los Espiritus
Autora: Isabel Allende
Editora: Difel
Ano de Publicação: 2000
Número de Páginas: 359


Há muitos anos atrás, aliás, no tempo ainda do VHS, que via um filme chamado A Casa dos Espíritos no clube de vídeo e, amante de filmes de terror, queria ver aquele à força toda. Depois apercebi-me que não era de terror, mas mesmo assim estava bastante curiosa em ver aquele filme... Ainda não o vi!, mas mais tarde descobri que era baseado num livro e passados anos de o querer ler, finalmente consegui meter-lhe as mãos em cima e satisfazer a curiosidade. Não era nada do que eu tinha imaginado!

As personagens são imensas, cada uma mais interessante que a outra. Somos levados por diferentes gerações da família, começando por Nívea e Severo del Valle, um casal que tem duas filhas, Rosa e Clara. Rosa é belíssima, e exótica, com o seu cabelo verde e os olhos amarelos, e Clara, claríssima, clarividente, tem um dom mediúnico bastante acentuado. Aparece-nos pela primeira vez Esteban Trueba, primeiro prometido a Rosa, mas que mais tarde se casa com Clara. E aqui, neste segundo casal, nascem Jaime e Nicolau, gémeos, e Blanca. Mais tarde, Blanca tem uma filha, Alba, que encerra o livro com o seu avô, Esteban.
Apresentada a família, passemos à história do livro. Passado na América Latina, e pela descrição, podendo ser em quase qualquer país daquela zona, a personagem que acaba por ser mais desenvolvida é Esteban Trueba. Vemos o desenrolar da sua vida, desde a infância pobre com uma mãe doente e uma irmã solteirona, ao trabalho árduo nas minas, mais tarde a enriquecer e a viver em Las Tres Marias, a sua ascensão ao poder e o seu fim. Toda a história acaba por se encontrar em Esteban, pois as suas acções e decisões afectam invariavelmente a vida dos restantes. Para mais informações acerca da história e personagens, por favor consultem o Google :)

A minha opinião acerca deste livro... Só não o adorei a sério porque houve algumas partes no livro que me incomodaram e apesar de muito bem escritas, eram terroríficas demais para imaginar. Uma das primeiras passagens a falar de Esteban nas Las Tres Marias foi difícil de engolir! Mas cenários mais complicados à parte, este livro está intrinsecamente produzido. O modo como os diferentes personagens se relacionam entre si, por vezes passados anos de aparecerem pela primeira vez no livro, é brilhante.
A única coisa que tenho a apontar, é que gostaria de saber o que acontece a Esteban Trueba (um outro) no fim. Depois de tudo o que ele faz (e aliás, a cena dele com a pequena Alba na biblioteca faz parte precisamente dos cenários difíceis de imaginar), gostava de saber como acaba a história dele. Penso que é mesmo a única observação mais negativa que posso fazer, pois, por mais complicadas que sejam, as outras personagens acabam por cair nas nossas boas graças em alguma parte do livro. Adorei a personagem da Ama... personagem secundária, mas de uma ternura e um carinho extremosos. Embalou os filhos dos outros, como se fossem seus, com amor e sem esperar nada em troca. É uma personagem que está muito presente (pelo menos até morrer), e, a par de Alba, guardei um espacinho para ambas, pois foram sem dúvida as que mais me marcaram.
Uma sensação com que fiquei neste livro foi que começa de uma maneira muito mais leve, para acabar de uma maneira mais sombria. Apesar de haver alegrias e tristezas constantes, a partir de determinado ponto no livro nota-se uma atmosfera mais pesada e cruel, corroborada com o contexto social e as descrições cruas das diferenças entre ricos e pobres. Tendo em conta a autora, fiquei com algumas dúvidas acerca de um certo teor biográfico presente n'A Casa dos Espíritos. 

Resumindo e concluindo, gostei muito deste livro, e assim que vir o filme, também o irei comentar aqui no blog, porque estou muito curiosa com a adaptação cinematográfica. Até para comparar com a minha sensação de leitora! Deixo-vos aqui o trailer do filme, de 1993, com um elenco bem interessante.


"(...) o tio Jaime era da opinião que a gente só lê o que lhe interessa e se lhe interessa é porque já tem maturidade para o fazer"

2 comentários :

  1. Olá Nádia,

    Sem duvida um livro muito bonito e que acabei por ler, tal como outros livros muito bons graças à promoção da revista sábado que vendiam estes livros a 1 €, e são ainda MUITOS os que tenho para ler.

    Penso que existe continuação deste livro, embora não tenha lido também, mas penso que acaba por ser um relato interessante de uma determinada época.

    Quanto a mim ainda hoje recordo com saudade a personagem Clara, mais a sua clarividência ;)

    Adorei ler coisas sobre este livro que li à tanto tempo :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida o meu livro favorito de Isabel Allende! :D

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)