Estou viva!

abril 11, 2013

E tremendamente arrependida por ter tanta coisa que fazer no blogue. Duas opinião, não sei quantas sinopses, dar andamento ou não a algumas ideias, blocos de notas com anotações para comentários de livros e outros com coisas para fazer no blogue (e que só uma está riscada)... Aquela pilha de livros tem dois sentidos: opiniões e sinopses. Ai...


You Might Also Like

2 comentários

  1. Já andava preocupado, mas felizmente deste sinal de vida :D

    Ai faço ideia, mas isso é bom sinal, agora é só namorar menos e dedicares-te mais ao blogue ehehe

    Falando a serio por vezes é necessário alguma inspiração e tem dias que não vale a pena, mas não tarda e fica tudo em dia e tens ai muito por ler, sim senhor.

    Gostei de ver ai a saga da Robin Hobb, uma das minhas escritoras favoritas ;)

    Dá para ver onde passas o teu tempo no pc e com a estante mesmo à mão :D

    Bjs e venham lá essas novas


    ResponderEliminar
  2. Pois é, é aqui que passo o meu tempo mesmo :) Este da Robin Hobb veio naquela promoção da SdE de um livro grátis, na altura nem conhecia! Infelizmente só tenho mesmo o primeiro volume, mas gostaria de acabar a saga.

    Agora vou passar pelo teu blogue e de seguida, comentários comentários comentários :P

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.