Tag

abril 08, 2013



Do outro lado do oceano chegou-me este tag, enviado pela Amanda, do blogue Amanda, a menina e o vento! Obrigada por te teres lembrado de mim :) Então isto é assim:

Regra: O blogger que receber a tag deve colocar as 5 melhores capas da estante deles, postar a foto arco-íris, entrevista colectiva e indicar 10 blogueiros, com menos de 200 seguidores, para que possamos fazer com que esses blogs sejam mais vistos, e nos unirmos mais.

Uma vez mais, passo a parte de indicar os blogues, pois já sabem como é!

Aqui fica a fotografia do arco-íris:


E aqui as cinco capas mais bonitas. Esta é complicada de escolher, mas serão as cinco primeiras que me lembrar, pois há mais!

A Filha da Floresta

Viagem Sem Regresso

Mistral's Kiss

O Segredo de Shakespeare

A Gárgula

(e não, não tenho um fetiche por costas!)

Entrevista:


Como escolheu o nome do Blog?
Estava sentada no quarto e o Bam estava a dormir na cama. Não me ocorrendo nada de interessante, apenas escrevi o que havia naquele momento: Eu e o Bam.

Quanto tempo se dedica ao blog?
Depende dos dias, uns dias mais, uns dias nenhum... Sinceramente nunca reparei nisso, é tempo bem passado, e isso é o importante!

Já teve algum problema com comentários anónimos no Blog? Qual?
Ainda não, mas nunca se sabe o amanhã ;)

Quanto tempo está na Blogosfera?
Com o Eu e o Bam, há cerca de quatro meses. No entanto em 2009 cheguei a ter outro blogue, de música. Tenho vários outros blogues mas de acervo pessoal, interdito a demais olhares, que servem basicamente como informações que posso necessitar e dispor em qualquer parte que tenha internet. Para além disto, faço parte de uma comunidade de música que também tem um blogue, desde 2010.

Quantos blogs visita por dia? 
Depende da paciência com que estiver ou do que tenha que fazer. Tenho uma pastinha na barra de marcadores chamada Blogroll com um monte de blogues, e normalmente corro a lista, a ver as últimas novidades de maior parte dos blogues que sigo.

Quantos livros lê por mês? 
Não consigo quantificar! Tem uma lista aqui ao lado das leituras de 2013, é só fazer as contas para ver a média que dá :)

Livros curtos ou grandes?
Tenho tendência para gostar de livros grandes, mas por vezes há livros pequenos que são enormes.

Já ficou sem inspiração para postar? Como superou isso?
Acho que isso acaba por acontecer irremediavelmente. Eu já perdi a conta ao número de vezes! A melhor maneira de ultrapassar é não postar nada. Não vou estar a encher chouriços com algo que não sinto nem quero, portanto prefiro estar uma semana sem dar notícias do que encher o blogue de tretas que não me interessam, nem a ninguém, e que não quero.

Pretende mudar algo no Blog em 2013?
Sim, tenho ainda vários projectos em mente, que só ainda não avançaram por uma questão de preguiça. Hehehehe...

Bem, e aqui fica!

You Might Also Like

2 comentários

  1. Olá Nidia,

    Belo liro esse viagem sem regresso, gostei e claro o da Juliet é sempre bom.

    Gostei de ler a tua entrevista, gostava que um dos teus projetos fosse para a frente e que tem a ver com uma escritora :D

    E com tanto post que te tenho visto colocares não me parece que sejas preguiçosa : P

    Bjs e boas leituras ;)

    ResponderEliminar
  2. Pois é, tens toda a razão caro Fiacha :) Tenho algumas coisas atrasadas aqui no blogue e ando ocupada a tentar encontrar algum tipo de voluntariado animal que dê fisicamente para mim, resultado, tenho uma série de coisas em atraso! Mas vou ver se até ao fim de semana tenho tudo pronto aqui e se no final da próxima semana tenho o outro impecável :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.