sábado, 11 de maio de 2013

John Lennon Nunca Morreu, de Catarina Coelho - Sinopse & Opinião [Chiado]

John Lennon Nunca Morreu e Outros Contos Fantásticos
Título: John Lennon Nunca Morreu
Autora: Catarina Coelho
Editora: Chiado Editora
Ano de Publicação: 2011
Número de Páginas: 90


Este livro apresenta sete contos que conjugam fantasia, magia, sobrenatural e improvável. Entrando directamente na mente e nas emoções das personagens, cada história procura ser, ao mesmo tempo, visão imaginária e reflexo de sentimentos.

John Lennon nunca morreu - A história de um fã entusiástico dos Beatles, que não se conforma com a grande perda sofrida pela música com a morte de John Lennon e decide fazer alguma coisa quanto a isso.

A Troca - Stella e Charlotte vivem perto de uma floresta ancestral. Nela, existem forças que reinam soberanas. E desafiá-las pode ter consequências inesperadas… 

Pequenos demónios - Após anos de ausência, a protagonista deste conto regressa à casa onde cresceu e descobre como o passado, que julgava completamente morto e enterrado, pode tornar-se assustadoramente vivo e presente.

O Sacrifício - Um monge cristão chega a um território onde a fé é a dos velhos deuses e o choque com a nova crença é inevitável. Quando o amor acontece e ameaça abalar a velha ordem, homens e deuses vêem-se envolvidos numa disputa cujo preço pode ser demasiado alto…

E nada mais importa - Mesmo quando o coração se julga nulo e insignificante, o bem que fazemos pode dar sentido a toda uma vida e um simples gesto de caridade pode fazer toda a diferença...

Espelhos - Elizabeth odeia a hipocrisia que reina entre os convidados para o baile de Whitestone, a forma como escondem entre sorrisos e cortesias os seus maiores defeitos. Mas, um dia, será ela a organizadora desse baile e decidirá preparar para os seus convidados uma surpresa que eles nunca esquecerão…

Espírito da Natureza - Em Green Oaks, celebra-se a festa das colheitas, junto do castelo do senhor daqueles domínios. Mas os festejos são perturbados por um acontecimento misterioso, que abalará a paz daquela terra e fará a comunidade perceber que há forças maiores em jogo…


Gosto de Fantasia e gosto de Contos. Não sou fã de Beatles mas não foi isso que me impediu de ler o livro :) Não sabia bem o que esperar desta pequena obra, pois os pequenos resumos de cada conto dividiam-me: ora pensei que prometiam uma grande história que merecia ser mais do que um conto por ter pano para mangas, ora pensei que para um texto tão pequeno, o resumo era demasiado grande, no que toca a spoilers. Depois de acabar de ler o livro, concordo com ambos os pensamentos...
Analisando conto a conto!

John Lennon Nunca Morreu - este conto penso que terá sido o que eu menos gostei. Achei-o despropositado e sem sentido... No entanto, compreendo-o. A dedicatória da autora é sublime de tão simples e prática que é e a mim, a quem os Beatles nada dizem, este conto passa-me ao lado. Mas para Catarina Coelho e outros não, por isso, apesar de eu não ter gostado do conto, penso que se enquadra muito bem e consigo facilmente pôr-me no lugar da autora e escrever algo do género.

A Troca - a dor! Apesar de ter considerado a relação espaço/tempo desta história deslocada, a história é muito interessante, e triste. Nesta pensei realmente isto dava para ter uma continuação muito trabalhada e misteriosa, e ter acabado por ali deixou-me suspensa na história a descortinar o futuro.

Pequenos Demónios - quando me comecei a aperceber da história, fiquei um bocado pasma pois pareceu-me quase roçar o ridículo, mas não é que se tornou no segundo melhor conto deste livro? Talvez seja porque eu tenho aversão ao que é usado para ilustrar os pequenos demónios, mas estava a soar-me tão estranho... e quando acabei de ler fiquei sinceramente contente (e quem ler o conto e souber do que eu estou a falar vai pensar, neste ponto, que eu sofro de algum tipo de demência) pela forma como a autora deu elegantemente a volta à situação, e o final é ainda mais intrigante...

O Sacrifício - é uma bonita história de amor. Poderá ser um bocado previsível mas eu gosto quase sempre de histórias de amor proibidas e essas coisas todas, e esta é um bom exemplo de tal.

E Nada Mais Importa - apesar de ter um detalhe um bocado mais... difícil de entranhar, não é a que eu mais gostei mas penso que será a mais importante em todo o livro. É uma verdadeira chamada de atenção para qualquer pessoa. Embora possa parecer trivial, das suas palavras e história podemos retirar uma lição muito, muito valiosa.

Espelhos - este conto era o que eu tinha mais ânsia em ler. Bailes, vinganças, falsos valores morais... Pareceu-me perfeita! Infelizmente, não foi das que eu mais gostei, pois não me pareceu muito natural. Sim, eu sei que são contos de fantasia, mas há limites, e este conto tinha aspectos muito fortes para se tornar num conto maravilhoso, mas ficou aquém das minhas expectativas.

Espírito da Natureza - como talvez possam ter reparado, este sim, foi o meu conto favorito. É tão, tão bonito. Não temos bailes vingativos nem histórias de amor impossíveis, mas gostei tanto... Todo o conto desconfiei da identidade do pai da criança, e quando descobri, fiquei de boca aberta... Tão bonito!

Apesar de por algumas vezes ter apontado que há alguns contos que poderiam ter tido continuação, não quer dizer que eu, colocando-me no lugar da autora, o fizesse. Penso que escrever contos e pequenos textos/histórias é tão difícil como um romance ou uma colectânea de poemas, pois o escritor tem de contar em poucas linhas uma história interessante e com personagens convincentes, portanto, dou todo o mérito a Catarina Coelho por este pequeno livro. Gostaria também de sublinhar que a correcção da sua escrita é algo que já não via há algum tempo: não estamos perante uma linguagem literária no seu expoente máximo de eloquência, mas sim diante de uma jovem autora que consegue aproximar o seu universo de letras e palavras de nós, sem erros, correcto, o que hoje em dia - infelizmente - é cada vez mais digno de se louvar.

Recomendo este livro pois parece-me o ideal para quem procura algo leve e fácil de ler. Tirando E Nada Mais Importa, todos os contos são de fácil absorção e bem escritos, o que torna este John Lennon Nunca Morreu uma leitura muito agradável e prática.

4 comentários :

  1. Ois,

    São daqueles livros que sabem bem ser lidos, no fundo só o nome do livro é apelativo, pois estamos na presença de um grande homem, alem de bom músico :D

    Bjs e boas leituras :)

    ResponderEliminar
  2. Exactamente! O título foi o que mais me chamou à atenção, e a capa também é muito engraçada! :)

    ResponderEliminar
  3. Bem haja Catarina Coelho por ter escrito este livro e por mo ter enviado para ler, pois também sou fã do John. Continue sempre a escrever desta forma tão bonita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      Por acaso não tenho conhecimento de mais nenhum livro da Catarina, mas isso pode ser mesmo ignorância minha.

      Boas leituras!

      Eliminar

Obrigada por comentares :)