quarta-feira, 15 de maio de 2013

Perdidos, de Rute Canhoto - Opinião

Perdidos

Título: Perdidos
Autora: Rute Canhoto
Editora: Euedito
Ano de Publicação: 2012
Número de Páginas: 352

Antes de começar com o comentário a este livro, queria agradecer à autora, Rute Canhoto, que demonstrou uma simpatia enorme ao oferecer este livro em versão e-book aos bloggers! Foi um gesto muito gentil e que, certamente, não passou despercebido nem será esquecido.

Agora, relativamente a estes Perdidos... Vem na onda dos livros da moda, em que há um triângulo amoroso que envolve uma rapariga, dois rapazes lindos, sendo que um deles, ou ambos, ou nenhum, tem algum tipo de paranormalidade associada. Até aqui não me oponho pois, apesar de dificilmente se conseguir encontrar algo de original neste pensamento, uma escrita decente e uma história razoavelmente bem construída podem fazer milagres e tornar o livro minimamente interessante.

E foi isso que Rute Canhoto fez: com uma escrita fluída e bastante familiar, contou-nos a história que nos é contada por tantos outros. E a história também está bem, pois não há pontas soltas nem dúvidas acerca do enredo (se bem que a meio tive algumas questões, lá para o final do livro tudo é explicado). O meu problema é só um... é igual a tantas outras. Mas igual, igual. Só muda o tipo de entidade que o rapaz é (digo eu, porque não li a maior parte dos livros que andam aí à volta deste tema [depois do Crepúsculo, desisti]). De resto, é igual... E achei realmente uma pena pois fiquei com a sensação de que Rute poderia fazer muito mais do que isso e, mesmo numa linha de pensamento que não deixa muito espaço à originalidade, explorar mais e construir mais. Portanto é a história clássica, com o fim clássico.
Um reparo ainda acerca da história, tem referências a mais à saga de Stephenie Meyer, na minha opinião. Basear-se neste tipo de livros para formar a opinião de alguém dentro de um livro não me agradou, de todo.

As personagens são uma escolha curiosa. Temos Marina, a rapariga que só pensa na escola e depois tem dois rapazes lindos e desejados atrás dela, e até já nem presta atenção às aulas. Isso aliado ao combate às forças do Mal, mudam a sua vida... No espaço de um mês. Este pormenor deu cabo de mim. Então uma miúda tão atinada e de repente já não quer saber de nada, já só pensa em estar com o XPTO (claro que não vou ser spoiler), e para quem acaba de dar o primeiro beijo a um rapaz (segundo compreendi) logo de seguida encosta-se a ele de roupa interior... Achei demasiado rápido e uma mudança muito brusca na maneira de ser da personagem. Penso que deveria ter sido mais trabalhada, ou então não tão drástica. Ana, a amiga - melhor amiga, que por uma questão de segurança não sabe de todos os detalhes, enerva-me a chamar bebé a Marina. É uma questão pessoal, eu sei... mas ao início pensava que a relação destas duas ia tomar um determinado rumo (era bebé e amor a mais), mas não. Fiquei triste. Depois temos Joshua, o bonzão que veio dos EUA e apaixona-se irremediavelmente por Marina, e toda a gente gosta dele - seja pelo aspecto ou pela personalidade. Esta personagem não evolui nem desenvolve: mantém-se sempre o mesmo. E por fim Lucas, o moço que afinal até é bonito mas antipático (vá lá, depois muda um pouco a atitude). Ou seja, é uma escolha curiosa porque são todas tão diferentes e envolvem-se perfeitamente na história, o que as humaniza e nos permite criar relações com elas. Apesar de haver detalhes seus que eu dispensaria, a liberdade criativa dos autores é sagrada. Rute optou por desenvolver umas personagens e outras não, e está muito bem.

Pode parecer de facto que só tenho mal a dizer sobre este livro: tal não é verdade. Apenas acho a história bastante repetitiva, porque de resto está (quase) tudo bem construído. E claro que, como rapariga que sou, os momentos mais amorosos que Marina passa quer com Joshua quer com Lucas por vezes deixavam-me um sorriso na cara! Aquele sorriso parolo, sabem... :) E ao menos Marina fica com a minha escolha de pretendente... Leiam e descubram!
Apesar de tudo, gostaria de ler a continuação. Estou bastante curiosa para saber o que aí vem, pois o livro pareceu-me ter um final bastante completo (certo, há a luta contra o Mal, mas pronto), e estou para ver se vai haver algum twist, separação, esse tipo de elementos... Quero ver se a continuação se torna um pouco mais picante e com mais acção pelo meio! E sobretudo, se torna um pouco mais obscura, mas mais não posso dizer, para não revelar o tipo de entidade que o rapaz é...

Concluindo: não seria o primeiro livro que eu aconselharia sem pensar duas vezes. No entanto recomendo a leitura do mesmo, para quem ainda tenha interesse neste esquema de história. Para além do mais, estarão a apoiar os jovens escritores portugueses, o que por si só já é um bom motivo. 

Sem comentários :

Enviar um comentário

Obrigada por comentares :)