Aconteceu Hoje - 18.07

julho 18, 2013





Em 1697, o padre António Vieira (Sermão de Santo António aos Peixes) morre aos 89 anos em São Salvador da Baía.









Em 1811, nasce o escritor inglês William Makepeace Thackeray, autor d' A Feira das Vaidades.











Em 1865, nasce o inglês Laurence Housman, ilustrador (Goblin Market) e escritor (Angles and Ministers).







Em 1906, nasce o dramaturgo americano Clifford Odets, autor de Waiting for Lefty.







Em 1925, Adolf Hitler publica o primeiro volume do seu manifesto pessoal, Mein Kampf.









Em 1933, nasce o poeta russo Yevgeny Aleksandrovich Yevtushenko.










Em 1934, nasce o dramaturgo e argumentista inglês Edward Bond, autor de A Prisão.








Em 1939, nasce o escritor americano Hunter S. Thompson (Diário a Rum).



[Fonte: Hoje na História]

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.