terça-feira, 30 de julho de 2013

[Desafio Literário Julho] Orgulho e Preconceito, de Jane Austen - Opinião

Orgulho e Preconceito
Título: Orgulho e Preconceito
Título Original: Pride and Prejudice
Autora: Jane Austen
Editora: (sic) idea y creación editorial
Ano de Publicação: 2011
Número de Páginas: 254

Finalmente! Julho chegou e consegui ler o meu tão aguardado Orgulho e Preconceito. As expectativas eram enormes; estava muito curiosa com a história e ansiosa para conhecer o encanto de Mr. Darcy.

Adorei a história do livro. Sempre que parecia que ia cair num impasse, algo novo e emocionante acontecia. E era sempre algo que gravitava à volta de Elizabeth, forçando a vida de outras personagens mas não descurado a principal, obrigando Lizzie a crescer e a conhecer-se.
Sendo um livro imensamente falado, não entrarei em grandes detalhes sobre a trama e a maneira como esta se escreve, nem na crítica social presente. É sabido que está escrito de uma forma bonita e correcta, rica e sólida, evocando uma época que sempre me encantou. Falar-vos-ei, então, das personagens que Jane Austen criou, com, atrevo-me a afirmar, uma grande mestria.
Primeiro, temos Mr. Bennet. É uma personagem extremamente cómica e paternal, que me proporcionou os momentos mais engraçados da leitura. A sua relação com a esposa, Mrs Bennet, é deliciosa: a sua paciência acompanhada de uma sátira mordaz e silenciosa dá uma certa leveza à narrativa (apesar do seu valor fundamental para a crítica social), deixando-nos sempre com um sorriso nos lábios.
Depois, Jane. Que personagem tão amorosa e tão imaginária. Ninguém é tão bondoso como Jane, mas a sua candura é essencial. A sua história de amor com Mr. Bingley é muito bonita, muito clássica, e é uma linha de amor que corre ao longo do livro e que nos agrada e cativa, e sendo Jane tão angelical, é impossível não nos ligarmos a si e desejar que a sua história acabe bem.
Por fim, Elizabeth, e Mr. Darcy. Elizabeth pareceu-me a heroína clássica, com uma postura moderna para a altura em que a acção se desenrola, com pensamento próprio e uma atitude frequentemente considerada pelos demais como vergonhosa. Mr. Darcy provoca uma reviravolta incrível na vida de Lizzie, e ambos evoluem; Lizzie de forma mais lenta, mais perceptível, e Mr. Darcy de forma mais abrupta. O seu amor, embora expectável, é mais cru e mais violento do que o de Jane e Mr. Bingley, e temos uma dualidade de paixões bastante interessante.
Contudo, terminei o livro com uma ligeira decepção: continuo sem entender o encanto de Mr. Darcy. É certo que a sua personagem é interessante, e as suas acções de elevado valor, mas... não entendo a obsessão. Alguém me quer explicar? :)

Quando acabei de ler o livro, vi o filme, e gostei imenso da adaptação feita. Apesar de não gostar da actriz escolhida para dar vida a Lizzie, penso que foi muito bem feito, o cenário, a banda sonora, e mesmo as diferenças entre livro-filme são ligeiramente pequenas e perfeitamente aceitáveis.

Fiquei muito feliz por conseguir ler Orgulho e Preconceito. Para além de o querer ler há imensos anos, a história foi de encontro às minhas expectativas, e sinto-me satisfeita com o romance. E vocês, o que acharam deste livro?

encontrei esta imagem e achei-a fantástica!

Orgulho e Preconceito (filme, 2005)

Orgulho e Preconceito (mini série, 1995)

Sem comentários :

Enviar um comentário

Obrigada por comentares :)