sábado, 27 de julho de 2013

O Indesejado, de Sarah Waters - Opinião [Bizâncio]

O Indesejado
Título: O Indesejado
Título Original: The Little Stranger
Autora: Sarah Waters
Editora: Editorial Bizâncio
Ano de Publicação: 2011
Número de Páginas: 480

Escolhi O Indesejado pois a sinopse tinha tudo para me cativar, com um certo quê de mistério e suspense... E como tenho o hábito de ler os agradecimentos, notas de autor e afins antes de ler o livro em si, ao ler os títulos sugestivos que a autora referiu, entre poltergeists e outros, fiquei completamente rendida e ansiosa para ler a história.

Sarah Waters leva-nos até Hundreds Hall, uma casa senhorial em Inglaterra que está num declínio mísero e inevitável. O Dr. Faraday, que conhecera a casa em todo o seu esplendor, cruza-se agora com uma sombra moribunda do que já fora, e cria laços com a família que a ocupa: Mrs. Ayres e os seus filhos, Caroline e Roderick. Em consulta à jovem criada Betty, dão-se os primeiros indícios de que algo na casa está... vivo.
Está escrito com uma mestria imensa, envolvendo o leitor quase inconscientemente com Hundreds Hall. Sentimo-nos parte da casa, e tememos com os restantes personagens. Quando os acontecimentos se sucedem assustadoramente, sentimos o medo e as dúvidas da família como se fossem nossos. Há momentos verdadeiramente arrepiantes, que nos fazem espreitar pelo canto do olho para nos certificarmos que estamos sozinhos.
No meio do terror, Sarah Waters presenteia-nos com o desabrochar de um novo amor. Apesar de o leitor já o esperar, ao fim de tantas páginas, acaba por ser um choque, pois é tão repentino. Torcemos por este amor; nós, a quem Hundreds Hall tão acolhedoramente nos recebeu, precisamos que este amor cresça. Mas será que a casa quer?
A personagem que mais me tocou foi, talvez, o Dr. Seeley. Apesar de ser uma personagem secundária, há uma evolução humana que se nota ao longo da trama e que acabou por me conquistar. Também Mrs. Ayres me cativou, com a sua delicadeza e sensibilidade idosa, levando-me a criar uma relação ternurenta com a senhora, que entretanto é abruptamente cortada. Porquê? Leiam, que vale bem a pena.

Para além de ser uma obra literária fantástica, ao lê-la era constantemente invadida por assaltos de tristeza, pois quantas Hundreds Halls é que nós conhecemos? Quantas boas famílias desapareceram, deixando para trás essas belas casas que pintam Portugal? Casas belíssimas, testemunhos de outros tempos perdidos no Tempo, que são demolidas para dar lugar a colmeias...
Não conhecia Sarah Waters antes d'O Indesejado, mas a simples menção do seu nome era acompanhada por um aceno de cabeça por parte do meu receptor. É uma escritora a não perder, e este livro é sem dúvida uma boa aposta, ainda com um final em aberto.

Mistérios, dramas, memórias, desgostos, medos, esperanças, mortes,... afinal, o que, ou quem, encerra Hundreds Hall?

1 comentário :

  1. Olá!

    Que bela opinião! Fiquei totalmente agradada com o que escreveste sobre a obra, pois é isso mesmo que espero dela.

    Será uma das minhas próximas leituras, sem dúvida. Já andava de olho nele há algum tempo e agora tive a oportunidade de o poder ler.

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)