45 Day Book Challenge - Dias 16, 17 & 18

agosto 03, 2013

- 16 - Livro Perturbante - 


Jack the Ripper, the Whitechapel Murderer. Como poderão imaginar, não é preciso ir muito longe para vos explicar o quão perturbador este livro é. Uma história que sempre me fascinou, é verdade. Mas, pela capa, podem adivinhar o seu conteúdo...

- 17 - Livro Inspirador - 


Estive quase, quase, a repetir O Retrato de Dorian Gray. Mas depois fica aborrecido :) Escolho então o Sebastian, de Anne Bishop. Numa altura em que o mercado literário está tão saturado e quando pensamos que já tudo está inventado, Anne traz-nos Ephemera, um conceito bastante interessante e complexo. E isso inspira-me, e faz-me acreditar que há mais, muito mais por aí, só que ainda não foi lembrado.

- 18 - Livro para o qual escreverias uma sequela - 


O Segredo de Shakespeare, de Jennifer Lee Carrell. Gostei imenso deste livro, quero muito voltar a lê-lo e aquando da minha primeira leitura, tive logo vontade de dar continuidade a uma das situações e/ou personagem; não me recordo. Tenho imensa pena, mas na altura não fiz nada e com o tempo essa ideia perdeu-se algures.

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.