Aconteceu Hoje, Ontem e Anteontem - 01.08, 02.08 & 03.08

agosto 03, 2013

1 de Agosto


Em 1799, nasce a escritora russa Shopie Feodorovna Rostopchine, mais conhecida pelo nome Condessa de Ségur, criadora de diversos clássicos infantis.


Em 1819, nasce o escritor americano Herman Melville, autor de Moby Dick e Billy Bud.

2 de Agosto


Em 1865, é publicado o livro Alice no País das Maravilhas, do escritor inglês Lewis Caroll (pseudónimo de Charles Dodgson).


Em 1942, nasce a romancista chilena Isabel Allende, a escritora por trás de obras como A Casa dos Espíritos, O Plano Infinito e De Amor e De Sombra, entre outros.

Rose Tremain

Em 1943, nasce a romancista inglesa Rose Tremain, autora de Música e Silêncio e Restauração.

3 de Agosto


Em 1861, é publicado o último fascículo do romance Grandes Esperanças, do escritor inglês Charles Dickens.


Em 1887, nasce o poeta inglês Rupert Brooke, que escreveu uma série famosa de sonetos de guerra (The Soldier, The Death e Safety).


Em 1920 nasce a escritora inglesa Baronesa P.D. James, autora de Intrigas e Desejos e O Cadáver Sem Mãos.

[Fontes: Hoje na História e Palavra Escrita]

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.