Li até à Pág.100 #10

agosto 04, 2013

Anónimos

Pensei não escrever esta rubrica para este livro, uma vez que é um livro de contos. Mas falarei do conto que marca a página 100, que neste caso é A Bola do João, quando a pergunta for restrita ao conto, e no livro nas restantes.

Primeira frase da página 100:
"'Anda cá, João', suspirou a voz feminina e tão familiar quanto o gotejar infindável do céu."

Do que se trata o livro?
É um pequeno livro de contos, com personagens e histórias que o autor quer que fiquem marcadas na memória dos leitores.

O que está achando até agora - livro?
Na altura em que cheguei a esta página, estava a gostar imenso do livro. Nunca pensei que fosse ficar tão surpreendida como fiquei, e a escrita de José Ribeiro é especial.

O que está achando do protagonista - conto?
O João é um miúdo, uma criança cuja vida gira em torno da bola. E agora que finalmente é dono de uma, as coisas mudam para o pequeno. É uma personagem muito engraçada e muito universal.

Melhor quote até agora:
Nenhuma.

Vai continuar lendo?
Já acabei =)

Última frase da página:
"Mesmo as suas festas eram singulares, santos cristãos e deuses pagãos misturavam-[se nas alegres romarias, como que vindos da mesma fratria.]"

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.