sábado, 21 de setembro de 2013

Compilação de Contos da Era Dourada, de Pedro Cipriano - Opinião

Cover for 'Compilação de contos da Era Dourada'
Título: A Era Dourada
Autor: Pedro Cipriano
Editora: -
Ano de Publicação: 2013
Número de Páginas: 75

A leitura deste livro foi uma experiência completamente nova para mim, por ser uma Leitura Conjunta. Desafiada pelo Fiacha, aceitei fazer parte desta Leitura, que contou com o Fiacha, a São Bernardes, o Marco Lopes, a Ana Faria e  Carla Pisco. Nunca tinha lido nada sobre este jovem escritor, nem tinha a mínima noção do seu trabalho; posso afirmar com toda a certeza que estamos perante um autor com um enorme potencial!
Para ser mais simples, ao fazer este comentário, vou dividir conto a conto, para poder falar um pouco sobre cada um.

A Alvorada

Estamos perante um cenário de guerra mundial, em que sentimos uma leve réstia de esperança pois tudo indica que está a acabar.
Foi o meu primeiro contacto com a escrita de Pedro Cipriano. Um conto sobre a guerra, passado num dos meus países de eleição, a Rússia. Confesso que fiquei surpresa com a maneira como a acção que se desenrola é descrita - a precisão, os detalhes, é uma escrita extremamente cinematográfica e isso agrada-me. O conto em si, adorei o fim. Estamos na Rússia, que mais se pode esperar? :) Apesar de ter gostado do fim, o momento que o antecedeu pareceu-me ligeiro demais; compreendo a intenção do autor, mas a nível pessoal gostaria de ter visto uma outra atitude.

A Escuridão

Será A Escuridão a continuação de A Alvorada? Temos um conto sobre um grupo de sobreviventes que se refugia num abrigo anti-nuclear. Aqui comprovei que a escrita do autor é mesmo detalhada e precisa, e que A Alvorada não foi um momento único. Que bela escrita! Simples mas altamente pormenorizada, sem falsas pretensões nem desnecessárias exibições, com um ritmo real e equilibrado. Gostei da pequena pontada de mistério que Pedro Cipriano cria, com os assassínios. Apesar de ser relativamente previsível, é um bom toque. Há também um certo romance a três, uma rivalidade latente que fica em aberto no final do conto - e muito bem, na minha opinião. O final do conto é de mestre. Completamente apocalíptico. Sem esperança, final. E eu gosto de finais que não são felizes.

A Alergia

Ao ler este conto, tive a sensação que estes se encadeiam uns nos outros; por coincidência, quando acabei de ler A Escuridão, pensei que seria interessante ler uma continuação desse conto, e não é que Pedro Cipriano o fez? Uma escolha bastante interessante e que, claramente, me agrada imenso! N'A Alergia conhecemos Roberto, que está a ultimar os preparativos para um atentado. Com um final que me deixou completamente deliciada, restou-me uma questão: quem era o amigo de Roberto?

O Monstro e a Musa

Em O Monstro, Pedro conta-nos um pouco o que levou à guerra e o que se passou desde então. Com o Doutor Ramos como refém, apercebemo-nos de como a Humanidade tem vivido até então, e surge então a necessidade de encontrar uma solução, para evitar uma futura guerra.
Em A Musa, o dilema do cientista mantém-se, mas toma algumas decisões que se revelam não serem das melhores. E acaba em aberto, o que me deixou ansiosa para ler o conto seguinte.
Aqui o autor comprovou o seu talento para criar e contar histórias, seguindo uma linha de acção muito específica, com várias personagens, com vários diálogos, com uma estrutura definida cronologicamente bastante boa.

O Fruto Proibido

Com este conto encerra-se esta colectânea de Contos da Era Dourada. Deparamo-nos com um jovem que encontra um livro da nossa época, e apesar de se ver livre do mesmo, não lhe consegue resistir.

"Humberto não conseguiu sentir rancor, somente tristeza por a humanidade continuar nas trevas."

Assim acaba a colectânea. Uma frase do amanhã, que é uma frase do hoje, e que foi uma frase do ontem. Seremos assim tão imutáveis?

Gostei imenso de conhecer o trabalho de Pedro Cipriano. Elogiei diversas vezes a sua escrita, que é de facto muito boa (com um erro ou outro ocasional, mas no geral é muito boa), e apesar de ser um tema que a mim não me encanta por aí além, o escritor conseguiu criar uma trama complexa e bem pensada através de alguns contos, não deixando pontas soltas, e finalizando em beleza. Muito bom. É bom saber que ainda há bons escritores portugueses.

Onde encontrar o Pedro
Para além de algures numa rua na Alemanha, podem encontrá-lo no Facebook e conhecer o seu trabalho no Smashwords.

2 comentários :

  1. Olá Nádia,

    Gostei de ler a tua opinião, foste ao detalhe de ir comentar conto por conto :)

    Fico contente que tenhas gostado, a leitura contou ainda com a presença do próprio escritor e alguma duvida já sabes é só perguntar-lhe.

    Gostei imenso também, em especial O Monstro e a Musa :)

    Obrigago pela participação :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras e visita caro Fiacha :)

      Foi uma experiência bastante interessante, isto da Leitura Conjunta. Quem sabe se na próxima e afins não entro :)

      Beijinhos e continuação de bom fim de semana!

      Eliminar

Obrigada por comentares :)