quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Estúpido negócio

Mês de Agosto, ano 2013,
admirável palha
que CHOCA o país em estado de guerra
na forma de guerrilha acendalha!
Labaredas, terra queimada de mão em mão
pela avidez declarada do farnel...
terrorismo incendiário,
entre eles impera a causa do papel…


A noite está calma, o vento sopra de afeição,
O pirómano,
pela calada verdejante inflamável
à marcação planeada
celebra a extensão da linha horizontal
sobre apreciação do rentável rastilho,
dá azo à devastação do património fatal.


Silêncio camuflado ao assalto,
quantos mortos? Quantos feridos?
Quanto património, quanta pobre gente de bens delidos?

  
Espectacular negócio instituído na leva desta sociedade
Conspurcada,
Que ministério da administração interna é este,
que fecha os olhos
A esta vergonhosa manobra de conveniência encetada?


Gosto na televisão, ver as labaredas no céu!
Quando eu for grande quero ser incendiário. – se Deus quiser -

Por Augusto Canetas

Deixo-vos aqui este belo texto escrito por Augusto Canetas, um escritor português a quem o Eu e o Bam muito deve. Ninguém pode, ninguém consegue ficar indiferente à tragédia que se tem desenrolado nos últimos tempos, a devastação do nosso país, o fogo que tudo devora à sua passagem. E depois há uns iluminados que acham piada a ver o país a ser consumido por tal fenómeno, mas sobre esses trastes prefiro nem me pronunciar, não vá a minha opinião chocar algum leitor.

Deixo-vos então este desabafo de Augusto Canetas, e deixo também as minhas palavras de agradecimento aos Bombeiros de Portugal e as condolências aos familiares dos que infelizmente caíram.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Obrigada por comentares :)