Li até à Pág.100 #18

setembro 08, 2013

- O Cronista - 



Primeira frase da página 100:
"«Ainda assim, seria agradável ter alguma paz, querida», disse Luís."

Do que se trata o livro?
Este livro é uma suposta tradução de um documento encontrado, documento esse que prova que efectivamente existiu uma papisa.

O que está achando até agora?
Está a ser uma leitura bastante interessante. Para além de ser um tema que me interessa, a perspectiva em que a historia decorre é completamente diferente da que eu esperava, e isso agradou-me.

O que está achando do protagonista?
Martin, é um jovem bastante interessante, mas ainda está a crescer e as aventuras estão agora a começar. Vamos ver como é que se torna tão fiel a Joana.

Melhor quote até agora:
"(...) comecei a entender que todos os seres humanos sofrem da mesma doença - a de serem humanos, com todas as suas forças e fraquezas, defeitos e pecados, e ainda assim, quando atingimos o que há de melhor em nós, talvez cada um possua uma centelha do divino."

Vai continuar lendo?
Estou ansiosa por acabar.

Última frase da página:
"Sob a sua adminis[tração, Tours é uma das dioceses mais ricas da cristandade ocidental]."

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.