Li até à Pág.100 #19

setembro 12, 2013

- O Sorriso das Mulheres - 


Primeira frase da página 100:
"-Miller - disse Bernadette."

Do que se trata o livro?
De uma jovem que procura o autor de um livro que mudou a sua vida - ou, nas suas palavras, que lhe salvou a vida.

O que está achando até agora?
Não está a ser uma leitura arrebatadora... Para além de totalmente previsível, parece-me tudo tão... irreal.

O que está achando da protagonista?
Aurélie não tem nada que se destaque, a não ser, talvez, que é um bocado chata. A sua obsessão em encontrar o autor é irritante; se na vida real fosse assim, então eu e a Juliet Marillier éramos amigas de longa data.

Melhor quote até agora:
Nenhuma.

Vai continuar lendo?
Vou-me esforçar para o conseguir acabar.

Última frase da página:
"Estes esvoaçavam em redor de um inglês bem-parecido, que talvez fosse tão solitário quanto eu."

You Might Also Like

2 comentários

  1. Olá,

    Prometedor portanto :D

    Espero que melhore na parte final :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pfffff, nem me fales... ainda por cima comecei a ler Duas Irmãs, Um Rei, que estou a amar simplesmente, e este fica cada vez mais para trás... Ai!

      Também espero que melhore na parte final. Quando me emprestaram disseram "Vais gostar tanto! É tão bonito!" e quando me perguntaram se estava a gostar, após a minha resposta, a reacção foi "Ainda estás no início, vais gostar muito, é muito bonito". Eu acho que a pessoa que me disse isto não conhece ao certo os meus gostos literários :P

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.