A Ler: Poe, de J. Lincoln Fenn - Sinopse [ARC]

outubro 14, 2013

Poe
Título: Poe
Autora: J. Lincoln Fenn
Editora: Amazon Publishing
Ano de Publicação: 2013
Número de Páginas: 381

It’s Halloween, and life is grim for twenty-three-year-old Dimitri Petrov. It’s the one-year anniversary of his parents’ deaths, he’s stuck on page one thousand of his Rasputin zombie novel, and he makes his living writing obituaries.

But things turn from bleak to terrifying when Dimitri gets a last-minute assignment to cover a séance at the reputedly haunted Aspinwall Mansion.

There, Dimitri meets Lisa, a punk-rock drummer he falls hard for. But just as he’s about to ask her out, he unwittingly unleashes malevolent forces, throwing him into a deadly mystery. When Dimitri wakes up, he is in the morgue—icy cold and haunted by a cryptic warning given by a tantalizing female spirit.

As town residents begin to turn up gruesomely murdered, Dimitri must play detective in his own story and unravel the connections among his family, the Aspinwall Mansion, the female spirit, and the secrets held in a pair of crumbling antiquarian books. If he doesn’t, it’s quite possible Lisa will be the next victim.

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.