Dewey's Read-a-Thon - Hour 6 - Mini-Challenge #5

outubro 12, 2013

Through the Tea Leaves from Katrina’s Reads

"Instructions:
1. Make yourself a cup of tea
2. When the tea is sufficiently stewed for your taste, strain the tea bag and place it upon the piece of paper.
3. Leave it for a moment or two (this will depend on the thickness of your paper) and dispose of the teabag.
4. We are now interested in the stain, move it around, view it from different angles, you are looking for a face, a face of a character from the book you are currently reading. (Whilst my stain was damp, I move the paper around which changed the shape of the stain a little and ended up providing the character's plaits)
5. Enjoy your cup of tea whilst the stain dries (if you are impatient like I was, use a hairdryer to speed up the drying process).
6. Now with a black pen sketch in the face of your character - use as much or as little detail as you like.
7. Take a picture, create a post on your blog or twitter acount and leave the link in the comments or on my twitter page @katrinasreads

"

The second I read this I knew what character I wanted to draw, the King! My choice was not tea, though, also because I don't use tea bags. Coffee, anyone? Nespresso? :) Kinda hard to stain the paper, but well, I guess it will have to be a small drawing!
The stain is really small, so I used it for the head. And I'm sorry, but my drawings are... weird. :)


You Might Also Like

3 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.