Dewey's Read-a-Thon - Introductory Questionnaire

outubro 12, 2013

So, let's start with the Introductory Questionnaire!

1) What fine part of the world are you reading from today?
Portugal :)

2) Which book in your stack are you most looking forward to?
The King's Hounds and Poe.

3) Which snack are you most looking forward to?
Cookies!

4) Tell us a little something about yourself!
This is my first Read-a-Thon, and if I enter any challenge with photos, there's a high chance my cat will appear in that photo with me.

5) If you participated in the last read-a-thon, what’s one thing you’ll do different today? If this is your first read-a-thon, what are you most looking forward to?
I didn't :(

7 minutes to go :)

You Might Also Like

2 comentários

  1. I really like your teacup!! Enjoy your first readathon!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hello Jehara :)

      Thanks for stopping by! I also loved the picture when I first saw it.

      Have a beautiful day!

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.