Dewey's Read-a-Thon

outubro 11, 2013


Pela primeira vez, vou participar no Dewey's Read-a-Thon. Nas minhas incursões literárias/blogueiras descobri este desafio, e desde então ando ansiosa para participar. Daqui a umas horas começa, e estou mesmo entusiasmada!

Para quem não conhece, este Read-a-Thon é basicamente passar 24 horas a ler. Literal ou não, cada leitor encara como quer. Eu certamente não passarei as 24 horas a ler, mas espero avançar imenso em alguns livros! Para além de leitores, há cheerleaders, voluntários e voluntárias que se comprometem a ir aos blogues participantes dar uma forcinha aos leitores. E há ainda uma série de pequenos desafios que se podem jogar, e alguns prémios.

Estou ansiosa por começar! Vou tentar actualizar o blogue à medida que o Read-a-Thon avança. Quem mais anda por aí que vai participar?

Podem visitar o site aqui.


You Might Also Like

2 comentários

  1. Olá,

    Confesso que a capa me despertou logo a curiosidade :D

    Não estou a ver muito bem em que é que consiste o desafio, mas seguramente que ler 24 horas num dia não é para mim, mas a ver se entendo melhor no que consiste ;)

    Gostas de desafios estou a ver :D

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu depois explico-te melhor, Fiacha :) Quando o Read-a-Thon acabar, vou traduzir todas as minhas actualizações, que em princípio serão em Inglês, e aí explico tudo tintim por tintim :)

      Adoro desafios. =D

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.