quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Incesto Sentido, de Conceição Freitas - Opinião [Chiado]

Incesto Sentido
Título: Incesto Sentido
Autora: Conceição Freitas
Editora: Chiado
Ano de Publicação: 2012
Número de Páginas: 310

A vida encontra sempre forma de nos confundir,
o caminho encontra sempre forma de nos inspirar

A escolha de Incesto Sentido foi um pouco por impulso. Se bem que o título, ao início, me confundiu um pouco, ao ler a sinopse pareceu-me uma história razoável, sem nada que fosse dar azo a algo um pouco mais... estranho. Esta leitura foi, sem sombra de dúvidas, uma espécie de montanha russa.

Montanha russa porque por vezes adorava o que estava a ler, e outras ficava tão irritada que só me apetecia saltar para as páginas finais e acabar depressa (felizmente não fiz, mas de qualquer das maneiras foi uma leitura rápida). Vou tentar explicar estes pontos mais correctamente.
Quando a montanha russa andava mais em baixo, era quando os erros ortográficos se repetiam, numa constante. E este factor aborreceu-me realmente ao longo de todo o livro. Sim, todo; é impossível esquecer, e penso que tanto Conceição Freitas como a editora deveriam ter tido mais cuidado na altura da publicação do livro, pois chega a ser quase doloroso sobreviver com tantos erros. Penso que também há algumas linhas da história que deviam ter sido (mais) trabalhadas, como a relação da personagem principal com o seu ex-namorado, ou com a sua amiga de infância.
No entanto, a montanha chegava aos seus picos altos, o que permitia quase ignorar o aspecto negativo que referi anteriormente. A própria história de Incesto Sentido é bastante interessante e, não me atrevendo a afirmar que é uma obra biográfica (se lerem o livro, perceberão como não me posso permitir dizer isto), penso poder afirmar que vários pensamentos e algumas acções que a nossa protagonista tem e faz são extremamente biográficos. Rosarinho é-nos descrita de uma forma muito próxima e quase carinhosa, e ali percebi que devia haver uma ligação mais do que imaginária entre a personagem e a sua criadora. Esse lado pessoal da escrita de Conceição é muito satisfatório de se ler, pois apesar de Rosarinho poder não cair nas graças de todos os leitores, há sempre ali um lado humano que nos cativa. Voltando à narrativa, o conflito que esta nos apresenta com uma personagem que passa 15 anos na cadeia e depois quando volta a ser livre só deseja a sua cela, é bastante incisivo, levando-nos a reflectir bastante na situação. Apesar de as condições da cadeia me terem parecido idílicas demais, a luta de Rosarinho mais tarde está muito bem apresentada.
Melhor de tudo, a montanha russa tem uma surpresa para os seus viajantes/leitores. Aquele final. Fiquei completamente extasiada. Rapidamente esqueci todos os pontos negativos do livro e considerei Conceição Freitas uma contadora de histórias muito boa. Aquele final! É muito bom, muito bem pensado, muito bem trabalhado, com o elemento da surpresa que apanha o leitor completamente desprevenido. Não posso, claro, entrar em pormenores, mas graças àquele final percebi melhor alguns aspectos do livro. Só por aquele final, vale bem a pena esta leitura. Eu já me devia ter apercebido disto quando a autora desvendou a relação de Claire e Marie.

Incesto Sentido é um livro de leitura muito rápida, com uma boa linha de narrativa e um final deslumbrante. Só temos de fechar os olhos aos erros. É, realmente, uma pena; este livro tem muito, muito potencial. 

2 comentários :

  1. Olá,

    Gostei de ler o teu comentário e compreendo-te um pouco, quando temos momentos maus e momentos bons, pelo menos do que tenho lido da Editora por norma acontece-me isso.

    Fiquei curioso digamos assim ;)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, sei que esse sentimento te é familiar :) Mas o final deixou-me mesmo... UAU. Isto sim, é a sério :)

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)