A Ler: Vasco da Gama O Caminho da Índia, de Elaine Sanceau - Sinopse [Civilização]

novembro 19, 2013

Vasco da Gama O Caminho da Índia
Título: Vasco da Gama O Caminho da Índia
Título Original: Good Hope: The Voyage of Vasco da Gama
Autora: Elaine Sanceau
Editora: Civilização
Ano de Publicação: 2013
Número de Páginas: 239

O relato da mais extraordinária aventura da era das descobertas: uma viagem épica, liderada pelo génio, coragem e perseverança daquele que foi uma das maiores figuras da história universal da navegação.
A 8 de Julho de 1497, Vasco da Gama largou amarras do Tejo em demanda da Índia. A sua viagem, a mais difícil e perigosa até então empreendida, pode considerar-se o início de uma época, não só do ponto de vista náutico e geográfico, mas também do político. Foi Vasco da Gama o pioneiro que pôs em contacto para sempre as civilizações de dois continentes. O intercâmbio por ele iniciado jamais voltou a interromper-se. As suas repercussões foram tão vastas e as suas consequências tão múltiplas, que é para duvidar se qualquer outra exerceu tal influência na Terra.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Olá,

    Ai tanto livro que estás a ler ao mesmo tempo e que pela capa...gostei da sinopse :D

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      Acabei de ler esta noite. Muito bom ;)
      E devia estar a ler mais, para conseguir cumprir os meus próprios objectivos, mas tenho de ir com calma ^^

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.