Damselfly, de Jennie Bates Bozic - Book Blitz [Divulgação]

novembro 11, 2013


Hoje vou dedicar o dia a um livro em especial: Damselfly, de Jennie Bates Bozic. É um livro que dificilmente estará disponível em Portugal, a não ser em e-book talvez, e muito provavelmente na sua língua original, inglês. O que é, realmente, uma pena. Tive oportunidade de o ler e gostei muito desta obra. É muito simples, num mundo muito próprio, com uma história bastante interessante e engraçada. Ainda hoje vou deixar aqui a minha opinião do livro, assim como um pouco sobre a sua autora, e ainda um giveaway internacional que está a decorrer, de um gift card da Amazon, no valor de $50, que já dá para comprar o livro e mais qualquer coisinha :)

Esta divulgação conta ainda com o apoio do blogue YA Buond Girls, que podem visitar aqui, e que fazem um excelente trabalho na promoção de vários livros.

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.