Damselfly & Sugar Plum

novembro 11, 2013

Damselfly (Damselfly, #1)

Em 2065, o Projecto Lilliput criou a Lina - a primeira rapariga alada de quinze centímetros - como a solução para uma crise mundial alimentar e de energia. Isolada num complexo no meio das florestas da Dinamarca, Lina cresceu ciente do seu único objectivo: aprender a sobreviver num mundo repleto de falcões, abelhas e solidão. No entanto, no seu décimo sexto aniversário, ela descobre que não é a única adolescente do seu tamanho. Seis "Toms" foram criados pouco depois de Lina, e agora os seus criadores precisam de provar ao mundo que pessoas pequenas são o próximo passo lógico na evolução humana. Noutras palavras, precisam de provar que a sua reprodução é possível.
Hum. Não, obrigada. Lina já se apaixonou por um rapaz que conheceu online chamado Jack. Só que ele não sabe que a thumbelina1874 podia caber, literalmente, no seu coração.
Quando os seus criadores ameaçam fisicamente Jack a não ser que ela escolha um marido de entre os "Toms", Lina concorda em ser a estrela de um reality show. Assim que os episódios vão para o ar, o segredo do seu tamanho é revelado. Sem nenhum contacto com o mundo exterior, Lina assume que Jack já não está mais interessado em si. Afinal de contas, que rapaz quereria uma rapariga que nem pode beijar?
Lenta, muito lentamente, Lina torna-se amiga dos seis jovens que a vêem apenas como um bilhete para a felicidade. Talvez ela consiga tornar realidade o sonho de amor e companhia de um destes rapazes. Mas os seus criadores têm mais umas reviravoltas guardadas que ela nunca achou possível.
Lina não é a única a encenar para as câmaras.

Sugar Plum (Damselfly Series, #0.5)

Com quinze centímetros e lindas asas roxas, Sugar, de 17 anos, é a cara de uma fada - e isso faz dela a espia perfeita.
O ano é 2081 e os EUA não estão unidos há cinco anos. Agora está dividido em três secções amargamente rivais - West, East e Mids, onde milhares de famílias foram separadas pelo conflito. Com o objectivo de descobrir como os espiões atravessam desde a costa, em West controlam-se as caravanas de famílias que atravessam as Mids ilegalmente. O problema é que são difíceis de encontrar, e é aí que entra Sugar.
Cada semana, ela e centenas de outros como ela são embalados como decorações de Natal e "doados" para crianças pobres. Se tiverem sorte, acabarão com uma criança que faz a travessia e descobrem informação valiosa acerca das caravanas clandestinas enquanto as suas asas servem como mecanismo de rastreamento. Se não, voam de novo para a Fábrica de Doces para serem redesignados. Lavar, Enxaguar, Repetir até que tenham cumprido missões suficientes para merecer a sua liberdade.
Quando Sugar é colocada com uma criança chamada Clara, que vai fazer a travessia, rapidamente descobre que este conflito é mais complicado do que pensava. O tio e a família de Clara foram assassinados e agora os seus pais estão a fugir pelas .suas vidas. Cada segundo que Sugar fica com a família, está a colocá-los em perigo. Se partir, será apanhada e perderá qualquer hipótese de liberdade. Se ficar, poderá perder tudo.

Sugar Plum está disponível para download gratuito no Smashwords. Pode ser lido antes ou depois de Damselfly.

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.