[Desafio Literário Novembro] Necroforms, de Paul Melhuish - Sinopse

novembro 04, 2013

Necroforms
Título: Necroforms
Autor: Paul Melhuish
Editora: Grayhart Press
Ano de Publicação: 2001
Número de Páginas: 24

"The burial will be in about a week. I'll contact you with the precise date and time." 
"You can cremate her if you want. Save yourself some money." 
Hunt turned on him. "That would be utterly improper. Fire mustn't touch her. It is proper that she is laid in the ground in accordance with her profound wishes." 
James felt his face flushing after the Undertaker's ticking off. Then the anger kicked in. "She's dead. It's not like she's going to know." 
"The only absence of knowledge is your own, Mr Guest. Now good day."

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.