quarta-feira, 13 de novembro de 2013

[Desafio Literário T] A Mão de Dante, de Nick Tosches - Opinião [Estampa]

A Mão de Dante
Título: A Mão de Dante
Título Original: In the Hand of Dante
Autor: Nick Tosches
Editora: Editorial Estampa
Ano de Publicação: 2006
Número de Páginas: 308

Já há muito tempo que esperava ler A Mão de Dante, pois a sua sinopse prometia. Apesar de nunca ter lido A Divina Comédia (algo que espero um dia fazer), Dante enquanto pessoa sempre me intrigou, e ler um livro sobre ele, com uma história que aparentava ser tão interessante, foi uma oportunidade que não podia desperdiçar. Estava também curiosa em conhecer Nick Tosches, devido ao final da sinopse: "Alguns leitores poderão considerar este livro ofensivo. Outros considerá-lo-ão transcendente." Quem seria este escritor? Que tipo de leitora seria eu?

Uau. O primeiro capítulo é, sem dúvida, violento, e sim, pode-se dizer ofensivo. E aí descobri que, sinceramente, não queria saber. Escrita muito boa e história muito boa; eu pura e simplesmente não quis saber se durante a narrativa havia demasiados palavrões ou demasiadas cenas violentas. Habitualmente nem gosto de ler textos com palavrões, mas n'A Mão de Dante eles são necessários. Esta linha de violência e crueza mantém-se na história actual, onde existe uma grande sensação de se estar perante gangsters atrás do manuscrito de Dante. Mesmo assim, há lugar para a reflexão, no meio de tanta aspereza há algo mais leve: a consciência de um dos personagens, que o acompanha até ao final. Há dois personagens muito fortes, Louie e Nick: são ambos asquerosos na sua maneira de ser, mas senti-me curiosa em saber o próximo passo de cada um. Nick, no entanto, é diferente e acaba por se revelar uma verdadeira surpresa. É capaz de coisas terríveis, mas à medida que a sua história se vai revelando, dei por mim a ser mais compreensiva com ele. No entanto, são sem dúvidas personagens difíceis de gostar. São fascinantes, de uma maneira algo mórbida, mas complexas.
Já o lado da história de Dante, bem mais místico e com outro tom, não me agradou tanto. Esperava algo que me maravilhasse, e apesar de ser bom, não me arrebatou como eu esperava. Conhecemos pouco de Dante e muito de esoterismos. Mas é uma questão de gosto, apenas. Está tremendamente bem escrito, e apresenta-nos pontos de vistas bem interessantes. Gostei especialmente da história de Gemma. Apesar de ser tão pouco relevante, gostaria de ter visto a sua relação com Dante mais trabalhada e desenvolvida; mas compreendo que isso pouco interesse para a história em si. Há momentos também em que a narrativa chega a ser confusa, o que me obrigou a ler com mais atenção e raciocínio. Demonstra, no entanto, o largo conhecimento do autor sobre o assunto.
Durante a história de Dante, apercebi-me da versatilidade do autor, Nick Tosches. Pareciam duas histórias que se complementavam mas escritas por pessoas diferentes. Tudo muda, e, no entanto, tudo se liga. E tudo pelas mesmas mãos.

Existem espécies animais que, sabemos, matam os da sua própria espécie por comida ou território. Porém, foi a patologia da religião que tornou o homem a mais antinatural, a mais iníqua e a mais autoflageladora das espécies.

Uma dúvida manteve-se comigo até hoje. Nick Tosches, escritor e personagem. Até que ponto é o Nick-personagem baseado no Nick-escritor? Haverá alguma auto-biografia presente nas palavras? É por estes e por outros motivos que não gosto quando os autores dão os seus nomes às personagens dos seus livros. Estará Nick Tosches a contar-nos um pouco da sua vida? Estará a projectar um desejo obscuro do que ele gostava de ser, ou fazer, ou viver?

A Mão de Dante é um bom livro. Foge um pouco aos clichés a que estamos habituados, e mesmo o final é bastante mais interessante do que tudo ficou bem. As reviravoltas da história actual são completamente inesperadas e entusiasmantes. A história de Dante tem de ser lida com calma e atenção, pois já é um pouco mais complicada, mas mesmo assim agradável.
Aconselho este livro a toda a gente. Não posso compará-lo a nenhum autor nem cingi-lo a um único género. É um bom livro, e quem puder, deve dar-lhe uma oportunidade e começar a ler. Quanto mais não seja, tem uma grande história!

5 comentários :

  1. Ois,

    Bem rico comentário e agora deixas-me na duvida, tem personagens fortes, mesmo que o enredo não te tenha agradado muito, mas nota-se que foi uma leitura que gostaste.

    Começa a ser dificil vir aqui ler os teus comentários, isto claro é a transmissão de pensamento da minha carteira :)

    Fiquei curioso ;)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiacha, que te posso eu dizer... :) Obrigada por tudo :D

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Para mim, muito sinceramente, o livro do século até agora :)

    ResponderEliminar
  3. Para mim, do que li, o livro do século. Brilhante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá :)

      Não o consigo classificar como tanto, mas gostei muito. Obrigada pelo comentário!

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)