quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Novidades Bizâncio Novembro


OS ANJOS MORREM DAS NOSSAS FERIDAS,
de YASMINE KHADRA

Dizia chamar-se Turambo, o nome da sua miserável terra na Argélia, onde nascera nos anos de 1920. Tinha uma candura desarmante e um gancho esquerdo imbatível. Frequentou o mundo dos ocidentais, conheceu a glória, o dinheiro, o frenesim dos ringues de boxe, e todavia nenhum troféu movia mais a sua alma do que o olhar de uma mulher. De Nora a Louise, de Aïda a Irène, procurava um sentido para a sua vida. Mas num mundo onde a cupidez e o êxito reinam como senhores absolutos, o amor corre por vezes grandes riscos. 

Através de uma extraordinária evocação da Argélia de entre guerras, Yasmina Khadra apresenta, mais do que uma educação sentimental, o percurso obstinado de ascensão e queda de um jovem prodígio, adorado pelas multidões, fiel aos seus princípios, e que apenas queria ser senhor do seu destino.

COLECÇÃO: MONTANHA MÁGICA | PÁGINAS: 336 | PVP: 15,09€-16,00€ | ROMANCE

O CERCO DE LENINEGRADO,
de MICHAEL JONES

O cerco de Leninegrado foi a tentativa de Hitler de erradicar pela fome a população de uma cidade inteira. Martirizados pela fome, pelos rigores do frio, os habitantes da cidade testemunharam os actos mais vis de miséria humana e os mais nobres actos de solidariedade. Quando em 1944 foi posto fim ao cerco de 900 dias, mais de um milhão de pessoas tinha morrido e os sobreviventes ficariam para sempre marcados pelas suas provações. Só a partir dos anos 90 do século XX, quando o império soviético se desmoronou, muitas destas verdades foram reveladas, e, só recentemente, muitos dos diários, poemas e pinturas feitos durante o cerco foram disponibilizados para consulta pública nos museus e arquivos de São Petersburgo. 

Michael Jones teve acesso a este espólio, falou com sobreviventes e traz-nos um relato de viva voz da extrema crueldade e da suprema bondade que se revelam quando a vida de todos os dias mergulha no mais absoluto horror. 

«Este livro distingue-se pelo retrato da vida quotidiana em circunstâncias extremas. Escrito com fluência, a experiência de sofrimento ímpar que atingiu Leninegrado, em particular nos anos de 1941-42, é-nos revelada com rigor.» 

PÁGINAS: 368+16 | PVP: 16,98€-18,00€ | HISTÓRIA/POLÍTICA

FILHOS DO AUROQUE,
de PAULO CAETANO, JOAQUIM PEDRO FERREIRA E CATARINA GINJA

No início, eram feras. Bestas possantes, de cornos afiados e uma força assustadora. A sua figura foi gravada, pelo homem pré-histórico, até, nas rochas do Vale do Côa. Nesses tempos, muitos acreditavam que a sua força descomunal só podia ter uma origem divina. Eram adorados e temidos, mas quando transformados em comida matavam a fome a todo o clã, por várias luas. Quando o homem descobriu a agricultura e começou a construir povoados, novos animais começaram a fazer parte da paisagem modificada. O temível auroque esteve entre as primeiras espécies a serem domesticadas – e deu origem aos bovinos que hoje conhecemos. As raças autóctones que ainda sobrevivem nas planícies e montanhas portuguesas são testemunhos vivos de uma herança natural e rural única. O regresso do grande auroque pode estar para breve, graças a um ambicioso e controverso projecto científico europeu. E, quando isso suceder, um dos contributos genéticos mais importantes será de uma das nossas raças autóctones. 

É esse mundo que nos é desvendado neste livro de Paulo Caetano – um autor que se tem dedicado às temáticas ligadas ao mundo rural e à conservação da natureza. Esta obra conta, ainda, com a participação de Catarina Ginja, uma investigadora que está a desenvolver os seus estudos de pós-doutoramento com uma bolsa Marie Curie, e é amplamente ilustrada pelas fotografias de Joaquim Pedro Ferreira.

PÁGINAS: 192 | PVP: 25,94€-27,50€ | ÁLBUM

Reedição: MANUAL DIPLOMÁTICO,
de JOSÉ CALVET DE MAGALHÃES

«A vasta obra diplomática e historiográfica de José Calvet de Magalhães estava até aqui dispersa por várias editoras, com diversos volumes já esgotados ou fora do mercado. A publicação das suas Obras vem permitir o acesso fácil, em edições cuidadas, a um autor que, com o mesmo rigor e espírito liberal e humanista, ensina a arte da diplomacia, analisa os caminhos da aventura europeia e nos fala da «vida real» de Eça de Queiroz, Antero ou Almeida Garrett. As Obras de José Calvet de Magalhães, cobrindo todos os domínios essenciais da nossa acção externa, são de leitura obrigatória para entender Portugal no Mundo.» 
Álvaro Vasconcelos, Director do Instituto de Estudos Estratégicos e Internacionais. 

«As exigências da leccionação nos cursos de formação e de aperfeiçoamento profissional relacionadas com o exercício da profissão, estão na origem da preparação do presente Manual Diplomático. A falta de textos adequados cobrindo toda a matéria a leccionar tornou imperiosa a elaboração de um manual como o que agora se publica e que, de acordo com a sua principal finalidade, possui naturalmente um carácter didáctico e prático. O manual é constituído por duas partes distintas: uma dedicada ao direito diplomático, ou seja, ao conjunto de normas internacionais que regem o exercício da profissão diplomática; e outra, tratando da prática diplomática, abrangendo os vários processos em que se traduz normalmente esse exercício, como sejam os instrumentos de comunicação e a documentação diplomática oficial e ainda o cerimonial ou protocolo oficial.»

PÁGINAS: 304 | PVP: 16,19€-17,16€ | POLÍTICA/DIPLOMACIA

Reedição: A DIPLOMACIA PURA,
de JOSÉ CALVET DE MAGALHÃES

«A vasta obra diplomática e historiográfica de José Calvet de Magalhães estava até aqui dispersa por várias editoras, com diversos volumes já esgotados ou fora do mercado. A publicação agora das suas Obras vem permitir o acesso fácil, em edições cuidadas, a um autor que, com o espírito liberal e humanista, ensina a arte da diplomacia, analisa os caminhos da aventura europeia e nos fala da «vida real» de Eça de Queiroz, Antero de Quental ou Almeida Garrett. As Obras de José Calvet de Magalhães, cobrindo todos os domínios essenciais da nossa acção externa, são de leitura obrigatória para entender Portugal no Mundo.» 
Álvaro de Vasconcelos, 
Director do Instituto de Estudos Estratégicos e Internacionais 

«Espero que A Diplomacia Pura venha a ser leitura básica e obrigatória em todas as instituições em que a natureza, os usos e as modalidades da diplomacia são matérias de ensino. Têm surgido, (…) muitos poucos bons livros sobre este assunto (…). (…) Entretanto, deixe-me felicitá-lo pela elaboração desta útil obra (…).» 
George Kennan 
Director da School of Historical Studies, Institute for Advance Study, 
Universidade de Princeton, New Jersey

PÁGINAS: 192 | PVP: 11,43€-12,12€ | POLÍTICA/DIPLOMACIA

Sem comentários :

Enviar um comentário

Obrigada por comentares :)