sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Sia, de Josh Grayson - Opinião [ARC]

Título: Sia
Autor: Josh Grayson
Editora: -
Ano de Publicação: 2013
Número de Páginas: 213

Quando vi a capa de Sia, fiquei logo curiosa com o livro. Depois de ler a sinopse, pareceu-me uma boa aposta, com uma história simples, uma boa leitura, relaxadora.

Sia conta a história de uma adolescente que perdeu a memória, por completo. Não sabe quem é, o que é, o que fez, ou quem a rodeia. Após um momento inicial, começa a descobrir aos poucos a antiga Sia, e a detestá-la, tentando corrigir os seus defeitos e tornando-se numa pessoa melhor. Mas a antiga Sia está bem marcada na vida de todos, e mudá-la não é tão fácil quanto isso.
Sia, enquanto personagem, não me apaixonou como devia. Talvez por achar que é tudo muito bonito, penso que nesta personagem há demasiada bondade. Claro que há pessoas boas; mas gostava de ter visto mais de Sia enquanto conflito de personalidades. Consegue sempre dar a volta por cima e talvez por isso a tenha considerado algo monótona. Mesmo assim, o desenvolvimento da trama tem alguma acção, novos problemas e novas revoluções à espera a cada página. Dei por mim a torcer por algumas personagens e contra outras, mas o autor achou que tudo devia acabar bem. Discordo, mas reconheço que imprime alguma magia no livro. O que me leva a um outro aspecto.
Penso que o livro começou muito bem, com Sia perdida no mundo dos sem-abrigo. É uma altura bastante interessante e bem escrita, com pequenas chamadas de atenção aqui e ali. Para algumas pessoas pode ser um pouco chocante - mas é este o mundo actual, e que Josh Grayson consegue captar bem. A crueldade e a frieza das ruas, o abandono, a solidão. Está tudo muito bem. Mas à medida que a história desenvolve, a emoção inicial dispersa-se um bocado, e entramos num mundo real para entrar num mundo mais cor-de-rosa. Todos os problemas são facilmente resolvidos, e alguns deles, bem sérios, são tratados com demasiada leveza e/ou rapidez., o que leva a que a história se torne pouco realista. Nada se resolve tão facilmente como descrito no livro.
A história que Josh Grayson nos traz é amorosa, apesar de tudo. É uma narrativa clássica de redenção e arrependimento, com um toque de esperança na Humanidade. Apesar de ser simples, traz nas suas linhas uma poderosa mensagem de força e coragem, faz-nos acreditar que o mundo pode ser um lugar melhor, basta querermos. Se fecharmos os olhos às incoerências entre história-vida real, conseguimos ser transportados para algo como um conto de fadas, em que tudo acaba bem e o mundo é realmente um lugar melhor.

Aconselho este livro apenas por ser uma leitura leve e rápida. Não é complicada, não nos deixa a pensar, se lido no momento certo até nos pode dar alguma esperança. Mas não estejam à espera de algo que vá mudar a vossa forma de ver o mundo, nem algo complexo e intrincado. Sia é bom para se ir lendo, quando queremos fugir para um sítio mais tranquilizador.

Image and video hosting by TinyPic
(*A verdadeira amizade é quando dois amigos podem caminhar em direcções diferentes,
e mesmo assim manterem-se lado a lado - tradução livre)

1 comentário :

  1. Olá,

    Um livro para se ler de forma descontraída está visto, mas sem demasiadas expectativas :D

    Bjs e boa fim de semana :D

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)