A Ler: BoneBreaker Parte II, de Sara Reis - Sinopse [Chiado Editora]

janeiro 05, 2014

Bonebreaker (Bonebreaker #2)
Título: BoneBreaker Parte II
Autora: Sara Reis
Editora: Chiado Editora
Ano de Publicação: 2013
Número de Páginas: 444

Após ter abdicado de tudo, incluindo o seu nome, Sara - como agora é conhecida - parece estar cada vez mais longe de voltar a encontrar o seu irmão. Ao desenvolver sentimentos por Hugo, a sua situação complicou-se. Sara não sabe se deverá continuar a usá-lo para chegar ao seu irmão, ou se deverá confessar a verdade e pedir-lhe que a ajude. Contudo, os seus pensamentos e a sua opinião podem vir a mudar ao desvendar um dos grandes segredos que Hugo sempre escondera dela. Sem perceber as dimensões dos problemas em que Hugo está metido, Sara acaba por envolver-se, e aos poucos, apercebe-se de quem ele realmente é. Para dificultar, Nuno está cada vez mais forte e não desiste enquanto não conseguir vingar-se do irmão. Com medo das consequências, Hugo tenta esconder todo o seu passado a sete chaves o que se torna numa tarefa difícil quando membros da sua família acabam por conhecer Sara. Entretanto, Sara questiona-se se Hugo será realmente de confiança devido a todo o mistério. Será que Hugo é mesmo o chefe da Bonebreaker? Ou terá sido tudo apenas uma coincidência?

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.