A Ler: Um Estudo em Vermelho, de Sir Arthur Conan Doyle - Sinopse

janeiro 06, 2014

Um Estudo em Vermelho
Título: Um Estudo em Vermelho
Título Original: A Study in Scarlet
Autor: Sir Arthur Conan Doyle
Editora: Global Notícias
Ano de Publicação: 2009
Número de Páginas: 119

Um Estudo em Vermelho é a primeira história de Sherlock Holmes e o primeiro livro publicado por Sir Arthur Conan Doyle. É um romance publicado originalmente pela revista Beeton's Christmas Annual, em Novembro de 1887. A primeira edição, em formato de livro, só seria lançada em Julho de 1888. Parte-se à descoberta de um enigma terrível para a polícia, que pede auxílio a Holmes: um homem é encontrado morto, com apenas manchas de sangue. Não há vestígios de ferimentos e no seu rosto está estampada uma expressão de pavor. Dr. Watson, o amigo fiel e atento narra a história e participa no desvendar da identidade do assassino. Com Um Estudo em Vermelho Sherlock Holmes consagra-se como o mais apaixonante e popular detective da história da literatura.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Viva,

    Por acaso tenho um livro deste escritor mas nunca li, mas penso ser um nome muito consagrado ;)

    Espero que gostes :D

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu li O Cão dos Baskervilles e gostei imenso, vamos ver como corre este! :)

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Olha por acaso é esse mesmo que tenho para ler ehehe e até deve ser um livro que se lê rápido :D

      Eliminar
    3. Eu li-o há uns anos, não sei quanto tempo me demorou... mas este li em dois dias, é pequenino, e muito interessante :)

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.