Top Ten Tuesday #1

janeiro 07, 2014

imagem daqui

10 objectivos ou metas para 2014 (que envolvam livros ou não)

1. Quero ler, no mínimo, 50 livros.
2. Quero que o Eu e o Bam cresça :)
3. Quero concentrar-me e dedicar-me mais à escrita.
4. Quero arranjar trabalho!
5. Quero prosseguir com os estudos de Russo.
6. Quero fazer voluntariado com animais.
7. Quero ir ao Vagos Open Air.
8. Quero voltar a dedicar-me à fotografia.
9. Quero visitar todas as livrarias do Porto.
10. Quero que seja um bom ano :)

Alguns objectivos são bem mais simples do que outros, mas... parece-me que não peço muito!

You Might Also Like

6 comentários

  1. Viva,

    Bem espero que consigas concretizar os teus objetivos em especial arranjar emprego, boa sorte com isso ;)

    Quanto ao número de livros dá uma média de 4 livros por mês, excelente :D

    Não sabia que estudavas russo e eu que nasci em Moscovo ehehehe,

    Fotografia, parece-me bem e quanto ao blog crescer assim mesmo ;)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Fiacha! Espero conseguir cumprir tudo... Ao menos três livros já estão :P

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Olá Nádia
    é bom estabelecermos metas para uma nova etapa :) as minhas são menos ambiciosas, mas desejo-te verdadeiramente que se concretizem todinhas.
    Se estivesses em lisboa podia dar-te uma ajuda com o ponto 6, mas se quiseres posso-te por em contacto com amigos aí do Norte,
    Quanto ao ponto 3 já pensaste em enviar contos teus para aqueles grupos que aceitam a submissão ? por exemplo a editora Divergente aceita contos até ao final de janeiro :) ás vezes é bom concorrer, pois obriga-nos a disciplinarmos e a não deixar sempre para amanhã :)
    Tudo de bom, beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Caminhante :)

      Obrigada pelos desejos :) Do ponto 6, eu já contactei algumas organizações, mas ficam um bocadinho longe de onde eu moro :( Quais são as organizações, podes-me dizer?
      Eu já tentei algumas vezes entrar em contacto com editoras, mas recebi sempre não como resposta... E isso desmoraliza sempre, claro. Mas, mesmo assim, não vou desistir. Quero primeiro acabar umas coisas e depois pensar em grupos para publicar, mas não pode passar de 2014 :)

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Olá Nádia
      não sei onde moras, percebi apenas que é no Norte. tenho amigos na Sociedade Portuguesa para a Vida Selvagem, não sei se te interessa :)

      http://socpvs.org/intro.php

      quanto á escrita, vai tentando com coisas pequenas, contos ou pequena histórias e submete (há montes de sitios agora, não desistas :)
      bjs

      Eliminar
    3. Olá Caminhante,

      Obrigada pelo link! Vou já ver :)
      Eu há muito que deixei de querer escrever um grande romance, tenho-me contentado com textos e contos... Mas, como te disse, não desisto, claro que não :D Só quero terminar umas coisinhas antes ^^

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.