World Wide Livro #1 - Ler... em Cartoons

janeiro 25, 2014

World Wide Livro? Precisamente. Esta nova rubrica, que espero que seja semanal, é baseada nos milhares de coisas interessantes que encontramos a navegar na internet, e que por um motivo ou outro gostaríamos de partilhar. Assim, nasce a WWL, e o que é que estreia esta rubrica?

Algumas imagens de uma convenção de cartoons, organizada pela Iran Cartoons, em que o tema era a Leitura.

Primeiro Lugar


Runners-up


Finalistas

You Might Also Like

4 comentários

  1. Olá,

    Mas que bem, adorei de ver e está simplesmente fantástico.

    Ora aqui está uma mais valia para o blog ;)

    bjs e continua

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada caro Fiacha, eu achei isto bom demais para não partilhar! Para a semana há mais ;)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Olá Nádia
    uma novidade no teu blog que é fantástica. Gostei muito e espero que continues com esta rubrica. Os cartoons são uma forma de arte e para mim revelam bastante, acabam por ser uma análise social ou psicológica de um grupo, sociedade ou índividuo, muito boa.
    Parabéns
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Caminhante,

      Muito obrigada pelas palavras! Vai haver mais, não serão cartoons, mas esta rubrica vai definitivamente continuar ^^

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.