sábado, 1 de fevereiro de 2014

World Wide Livro #2: 10 Livros Banidos


Durante a história, o punho das pessoas ergueu-se várias vezes contra livros ou autores: política, religião, sexo, entre outros temas, despertavam a raiva de alguém e o livro acabava por ser banido. Hoje em dia, temos livre acesso a quase tudo, mas temos noção de que nem sempre foi assim? Aqui fica uma pequena lista de dez livros que viram as suas páginas cortadas ao longo dos tempos.

Admirável Mundo Novo
1. Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley

Ponto Principal: escrito em 1931 e publicado um ano depois, é uma paródia de Aldous Huxley à utopia de H.G. Wells, Men Like Gods, não completamente diferente de 1984 de George Orwell. Foca-se no período da industrialização, onde o autor explorou a perda da identidade e a divisão crescente da sociedade.

Porque foi banido: inicialmente, a Irlanda baniu-o pelo tema controverso do nascimento de crianças, e depois vários estados dos Estados Unidos tentaram banir das escolas devido aos temas negativos.

As Vinhas da Ira
2. As Vinhas da Ira, de John Steinbeck

Ponto principal: o livro que valeu o Prémio Pullitzer ao seu autor e lançado em 1939, As Vinhas da Ira conta a história dos efeitos da Grande Depressão nos pobres rurais, em especial na família Joad, que são forçados a sair da sua Oklahoma devido às condições económicas, indo para a Califórnia. É o retrato épico do desapiedado conflito entre os poderosos e aqueles que nada têm, do modo como um homem pode reagir à injustiça, e também da força tranquila e estóica de uma mulher.

Porque foi banido: apesar de ter granjeado louvores por parte das elites literárias, foi largamente banido nos EUA e queimado em massa pela população. As pessoas ficaram chocadas com as descrições das gentes pobres, ao que Steinbeck respondeu, dizendo que as descrições eram bem mais higiénicas do que a realidade.

Trópico de Câncer
3. Trópico de Câncer, de Henry Miller

Ponto principal: passado em França durante os anos 30, o livro segue a vida do seu autor, que na altura tentava ser um escritor de sucesso. Escrito na primeira pessoa, descreve os seus encontros sexuais com amigas e colegas, expondo as formas de vida de americanos que viviam no estrangeiro.

Porque foi banido: passado pouco tempo de ser publicado, um juiz da Pensilvânia disse que "não é um livro. É uma fossa, um esgoto a céu aberto, um poço de putrefacção, um agrupamento nojento de tudo o que é podre nos escombros da depravação humana." Como podem imaginar, as pessoas não estavam prontas para aquele que seria apelidado por George Orwell como o livro mais importante dos anos 30.

Matadouro Cinco
4. Matadouro Cinco, de Kurt Vonnegut

Ponto principal: o romance da vida de Billy Pilgrim (duplo quase autobiográfico de Kurt Vonnegut), nascido em Ilium em 1922, filho único do barbeiro da aldeia. Neste livro Kurt Vonnegut utiliza os métodos da ficção científica para permitir flashbacks contínuos do personagem, mas também para abrir uma quebra narrativa na trama principal intitulada A Cruzada das Crianças, e que é antes de tudo uma extraordinária denúncia dos extermínios organizados pela humanidade.

Porque foi banido: os EUA tinham mais do que fazer do que expor as suas crianças a estes temas, relegando assim este livro para outros planos.

Os Versos Satânicos
5. Os Versos Satânicos, de Salman Rushdie

Ponto principal: este livro conta a história de um indiano numa Inglaterra moderna. Depois de sobreviver à queda de um avião, Gibreel Farishta, uma estrela de Bollywood, refaz a sua vida, ao passo que o outro sobrevivente, Saladin Chamcha, fica com a sua vida destruída.

Porque foi banido: muitas comunidades islâmicas viram a opinião de Rushdie sobre o Islão uma blasfémia. Na Venezuela, as pessoas eram presas durante 15 meses se apanhadas a lerem o livro, enquanto que no Japão as pessoas que o vendessem em inglês eram multadas. Nos EUA, duas grandes livrarias recusaram-se a vender o livro depois de receberem ameaças de morte.

As Vantagens de Ser Invisível
6. As Vantagens de Ser Invisível

Ponto principal: inspirado num conto de J.D. Salinger, este livro conta a história de Charlie, que escreve uma série de cartas para um amigo anónimo, e onde vamos acompanhando a sua introversão, sexualidade, abusos e drogas.

Porque foi banido: pelo seu conteúdo sexual explícito, em particular o lado homossexual.

7. Tudo se Desmorona, de Chinua Achebe

Ponto principal: um dos livros mais aclamados da literatura africana, conta a história de Okonkwo, um líder e campeão local de wrestling, em Umofia (um conjunto imaginário de nove cidades na Nigéria). Trata da influência do colonialismo britânico e os missionários cristãos na sua comunidade, durante uma altura não especificada, algures entre o fim do século XIX ou inícios do século XX.

Porque foi banido: na Malásia foi banido pelo seu criticismo em relação ao colonialismo e as suas consequências.

Psicopata Americano
8. Psicopata Americano, de Bret Easton Ellis

Ponto principal: a história do assassino em série Patrick Bateman, durante os anos 80. É basicamente isto.

Porque foi banido: qualquer pessoa que tenha visto o filme saberá o porquê. A Alemanha considerou-o prejudicial para menores, quando apareceu em 1991. Foi banido no Canadá até muito recentemente, está banido em Queensland e é proibido a menores de 18 anos em maior parte dos EUA.

A Metamorfose (Colecção Mil Folhas, #30)
9. A Metamorfose, de Franz Kafka

Ponto principal: um dia, Gregor Samsa, um vendedor ambulante que sustenta os seus pais e irmã, acorda transformado num insecto gigante. Outrora o mais querido membro da família, começa uma luta contra os seus familiares e o resto da sociedade, até chegar ao ponto em que é trancado num quarto para ser esquecido.

Porque foi banido: todos os trabalhos de Kafka foram banidos durante os regimes Nazi e Soviético, e também da antiga Checoslováquia, pois o autor recusava-se a escrever em checo, escrevendo apenas em alemão.

Lolita
10. Lolita, de Vladimir Nabokov

Ponto principal: Humbert Humbert é um académico obcecado por mulheres jovens. Quando se muda para uma pequena cidade, a sua obsessão recai na filha de 12 anos de Charlotte Haze, sua esposa. Humbert e a menina fogem de cidade em cidade para tentar esconder a sua verdadeira relação.

Porque foi banido: após ter sido chamado de "o livro mais badalhoco que alguma vez li" pelo editor do Sunday Express, as suas cópias foram todas confiscadas em 1955 por alegada pornografia. Os franceses baniram-no no ano a seguir, mas curiosamente foi publicado sem nenhum problema nos EUA.

Traduzido e adaptado daqui.

Espero que tenham gostado desta lista! Como o site é não é português, nada se falou sobre terras lusas, mas achei interessante trazer-vos estes dez livros banidos. Em compensação, aqui podem encontrar uma lista de 900 títulos banidos em Portugal ao longo dos séculos; infelizmente, não tem os motivos, alguns depreendem-se mas outros nem por isso. Desta lista que vos trouxe hoje, os que foram banidos em Portugal foram apenas o Trópico de Câncer (1973) e Lolita (1955).

Já tiveram oportunidade de ler algum destes livros? Eu apenas li A Metamorfose, e tenho na estante o Trópico de Câncer para ler. E desse lado?

8 comentários :

  1. Já li o "Admirável Mundo Novo" e "A Metamorfose"! Espero um dia ler os restantes, tenho o "Lolita" à espera na estante :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Lolita sempre me chamou à atenção por causa de toda a polémica, mas agora que vi realmente do que se trata... acho que vou passar! :P

      Eliminar
    2. Ahaha também estou à espera de ganhar "estômago" para lê-lo :p

      Eliminar
    3. É que não deve ser nada fácil! Termos de esquecer um pouco das convenções sociais e deixar-nos levar por uma relação entre um homem adulto e uma criança... É preciso estômago mesmo :P

      Eliminar
  2. Olá amiga,

    Tanta coisa boa que tens publicado aqui no blog e eu sem cá vir, mas é mesmo falta de tempo :(

    Este post está excelente, muitos parabéns e sem duvida com muita qualidade :)

    São vários os escritores mencionados dos quais tenho livros e que ainda não li Lolita, As Vinhas da Ira, Metamorfose :)

    Bjs e prometo ainda vir cuscar o que tens publicado :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amigo,

      Nada de desculpas ;) Vens quando queres e podes ^^

      Eu do Steinbeck só li mesmo A Um Deus Desconhecido, mais nada, e dos outros referenciados, tenho muita curiosidade pelo Henry Miller. Talvez este ano ainda apareça aqui no blogue :)

      Eliminar
  3. Olá :)

    Gostei do teu post. Dos livros que mencionaste li The Perks of Being a Wallflower, Lolita, Brave New World, Metamorfose e As Vinhas da Ira. São todos livros excelentes mas infelizmente tem sempre que haver uma alma eliminada que decide que este tipo de livros devem ser banidos por isto ou aquilo. Já cheguei a ler outras listas de livros banidos e os motivos que por vezes apontam são simplesmente ridiculos!

    Beijinhos e boas leituras :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana,

      Obrigada pelo teu comentário! Tens toda a razão, há livros que uma pessoa até admite que podem chocar por algum motivo... mas a maior parte deles parece que é banida por capricho!

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)