quinta-feira, 13 de março de 2014

A Dama do Cachorrinho e Outras Histórias, de Anton Tchekhov - Sinopse & Opinião

A Dama do Cachorrinho: e outras histórias (Portuguese Edition)
Título: A Dama do Cachorrinho e Outras Histórias
Título Original: Дама с собачкой
Autor: Anton Tchekhov
Editora: L&PM Editores
Ano de Publicação: 2009
Número de Páginas: 128

"Ninguém melhor do que Tchékhov compreendeu a tragédia contida nas pequenas coisas da vida." Máximo Gorki

A escrita de Tchékhov revelou-se para o mundo como uma força inovadora tanto no âmbito do conto como do teatro moderno. Mestre nesses dois gęneros, o escritor russo interessava-se por desvendar o estado psicológico dos personagens, seus sentimentos e afliçőes, fossem eles camponeses, burgueses, nobres abastados ou aristocratas decadentes. Para Tchékhov, um dos maiores contistas da literatura, uma história tinha que ser contada com originalidade e revestida de calor humano.
Estes doze contos săo coroados pela mais célebre de suas histórias curtas, "A dama do cachorrinho" (1899), na qual o autor lança um olhar singular sobre o adultério e o surgimento do amor. Pincelado com um humor melancólico, este precioso conjunto apresenta também "Anna no pescoço", "A corista" e "Iônytch", além de outros contos que estăo entre os mais lidos da literatura ocidental.

**********************

O último livro que li para a Maratona Literária de Fevereiro (apesar se não o ter acabado durante a maratona), A Dama do Cachorrinho e Outras Histórias estava há bastante tempo na minha lista de livros a ler, especialmente por ser de um dos maiores vultos da literatura russa que eu nunca tinha lido. As expectativas eram muito altas, a curiosidade imensa, e finalmente consegui ler algo deste autor.

Devo confessar que logo ao início fiquei profundamente desapontada. Não é que os contos fossem maus, ou a escrita... apenas porque os contos acabavam e o meu pensamento era só um: "é isto?". Acabavam assim, de repente, sem mais nem menos, sem um final decente, sem uma conclusão. O sentimento manteve-se até perto do final do livro, mas os contos começaram, finalmente, a melhorar, a ter um final decente, a ter um início, meio e fim satisfatórios.
É evidente a mestria de Tchekhov com as palavras. A sua habilidade em contar histórias é inegável. Mas aqueles fins... sinceramente, deixaram-me até triste, tamanha a ânsia que eu tinha de o ler. Felizmente, lá para o final, tudo melhorou. A Irrequieta, Anna no PescoçoIônytch, A Dama do Cachorrinho e A Noiva , ou seja, os cinco último contos, salvam por completo o livro. Atrever-me-ia até a pensar que não seriam escritos pela mesma pessoa, se não o soubesse. São contos bem estruturados, em que chegamos ao fim satisfeitos, uma pequena história bem contada.
Compreendo o que Gorki quis dizer, principalmente no conto A Noiva. É, para mim, o melhor aqui apresentado, e não é por uma das personagens se chamar Nádia :) Mas sim pela mensagem que o autor tenta passar:

"Quando Sacha falava, estendia diante do ouvinte dois dedos compridos e magros.
– Tudo aqui me parece absurdo, pois não estou acostumado – continuou ele. – Ninguém faz nada, sabe-se lá por quê. A mãezinha só faz passear o dia inteiro, como se fosse alguma duquesa; a vovó também não faz nada, e você, também não. E seu noivo, Andrei Andrêitch, também não faz nada.
Nádia já ouvira isso no ano anterior e, provavelmente, dois anos antes também, e sabia que Sacha não era capaz de pensar de outra maneira, mas o que antes a fazia rir, agora, por alguma razão, a aborreceu.
– Tudo isso é velho e já cansou há muito tempo – disse ela, levantando-se. – Você devia pensar em algo mais novo.
Ele riu e ergueu-se também, e os dois caminharam em direção à casa. Alta, bonita, delgada, agora, ao lado dele, ela tinha um aspecto muito saudável e bem-arrumado; ela percebeu isso e sentiu pena dele, mas, por alguma razão, ficou constrangida.
– Você fala demais – disse ela. – Por exemplo, ainda há pouco você falou sobre o meu Andrei, mas você não o conhece.
– Meu Andrei... Que me importa o seu Andrei! Eu sinto pena é da sua juventude."

Isto. De querer mais, de não se contentar com o que temos, de não tomar nada como um dado adquirido. Só por isto, já valeu a pena ler todo o livro e passar pelo tormento dos primeiros contos.

Aconselho a leitura do livro, na sua totalidade. Mesmo os contos mais incompletos, quanto mais não seja para se ter a sensação de chegar ao fim maravilhados com a evolução que vemos de um para outro. Ou então apenas os últimos, para conhecermos um grande nome da literatura russa, tão em voga. Seja de que forma for, A Dama do Cachorrinho e Outras Histórias é uma excelente leitura para, daqui, partir para outras obras do autor.

6 comentários :

  1. olá Nádia
    Tchekhov é o maior contista de todos os tempos :) assim o dizem os críticos e também é a minha opinião de entre os que conheço. Só que foi um dos primeiros escritores a utilizar o chamado "fluxo de consciência" (muito utilizado no final do século XIX), em que os escritores procuram escrever o pensamento de um personagem, paralelamente à descrição dos acontecimentos e ainda sobre a impressão pessoal, da mesma personagem, sobre os referidos acontecimentos.
    Acontece que com todos estes argumentos não é fácil ler Tchekhov, os seus contos, na sua maioria, não apresentam um ritmo forte, antes pelo contrário e retratam muitas vezes o quotidiano russo, numa época socialmente complicada.
    Gostei do teu comentário :)
    beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Caminhante :)

      É inegável a qualidade de Tchekhov, mas mesmo assim, aqueles primeiros contos... hmmmmm :P Mas não sabia desse aspecto do "fluxo de consciência", é algo que tenho de ver com mais atenção... obrigada :)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Olá,

    Bem fiquei curioso sem duvida, admiro que tenha o don de com as palavras conseguir encantar-nos :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      Se não és grande fã de contos, então para já não leias este senhor xD Tal como a Caminhante disse, não é fácil ler, ainda por cima quando não se tem grande simpatia com o género. Quando te renderes por completo a este mundo, então lê e devora :)

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Olá Nádia,
    Acabei de te nomear para responderes a uma Tag, passa no blog.
    http://ruadepapel.blogspot.pt/2014/03/tag-breaking-spine.html

    Bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tânia!

      Já tinha visto essa tag, vou responder ainda hoje ;) Obrigada ^^

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)