Book Blogger Hop #4

março 19, 2014


Quando recebes novos livros, os que tinhas ainda por ler vão para o fundo das tuas prioridades, ou continuas a ler como se a novidade não interferisse na tua ordem?

Depende muito. Normalmente, quando recebo livros das editoras, dou-lhes um pouco mais de atenção, mas nem sempre, principalmente se estiver a acabar outros livros. Normalmente, a minha ordem mantém-se, mesmo com livros digitais. Mas tenho sempre o cronograma mental mais ou menos construído, e se tiver de meter algum lá para o meio, há sempre lugar para mais um.
Agora se estivermos a falar daquele livro, que eu ando a namorar há muito tempo... até durmo com ele!

Como é que vocês fazem? 

You Might Also Like

4 comentários

  1. Como eu.. se for "aquele" livro, não há outra alternativa se não passá-lo à frente dos outros todos :)
    * maryredhair *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, o problema é quando são "aqueles", e ficamos com a ordem toda trocada :P

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Olá,

    Por norma dou total prioridade aos livros que felizmente recebo da SDE, infelizmente nem consigo ler tão rápido como queria, mas até são compreensivos, apenas se for um livro que quero muito ler é que saiu desta rotina :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu com as editoras, tal como disse, também dou mais atenção, gosto de ter essas leituras certinhas :)

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.