Li até à Pág.100 #54

março 06, 2014

- A Vida é um Presente -

Primeira frase da página 100:
"[A minha casa estava cheia de desenhos, apontamentos,] anotações de pormenores que eu ia memorizando, a pensar no treino e no teste."

Do que se trata o livro?
A Vida é um Presente é uma auto-biografia da piloto María Villota, escrito depois de ter sofrido um acidente na pista muito grave, que por muito pouco não lhe tirou a vida. Infelizmente, depois de sobreviver ao acidente, passados 15 meses a piloto acabou por falecer. No livro conta a sua luta antes, durante e depois do acidente, e de como a sua vida mudou com tudo o que aconteceu.

O que está achando até agora?
Normalmente, não leio auto-biografias, mas quando vi este livro algo em mim o quis ler, e muito. Ainda não consegui perceber ao certo o porquê, mas esse instinto estava correcto, pois estou a adorar o livro.

O que está achando da protagonista?
A protagonista existiu, de facto, portanto é bastante diferente ao compararmos com algo fictício. María era, simplesmente, uma mulher maravilhosa, forte, corajosa.

Melhor quote até agora:
Logo no início do livro, há um pequeno texto muito bonito:

"E, um dia, percebemos que vivíamos adormecidos, caminhávamos às cegas e sentíamos por metade. Se nenhum acidente fez parar bruscamente a sua vida, viva a sonhar, observe enquanto passeia e aposte no amor. Se um acidente fez parar a sua vida por um momento, sabe do que estamos a falar."

Vai continuar lendo?
Sim, claro.

Última frase da página:
"Mas recordo essa época, antes de entrar no Fórmula 1, como os piores meses da minha vida."

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.