Top Ten Tuesday #10

março 11, 2014

Imagem daqui

O tema do Top Ten Tuesday de hoje é em parte nossa escolha, pois temos de decidir o género sobre o qual queremos falar. Para não estar sempre a falar da Juliet Marillier e da MZB, Anne Rice e Anne Bishop, do Tolkien e do Martin, vamos viajar por romances.

10 livros favoritos de sempre de romance

1. O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde

2. A Insustentável Leveza do Ser, de Milan Kundera

3. O Amante de Lady Chatterley, de D.H. Lawrence

4. Carnaval em Veneza, de Michelle Lovric

5. A Idade da Inocência, de Edith Wharton

6. A Dama das Camélias, de Alexandre Dumas

7. A Ilha, de Victoria Hislop

8. Viagem sem Regresso, de Katy Gardner

9. Orgulho e Preconceito, de Jane Austen

10. A Paixão de Jane Eyre, de Charlotte Brontë

Há muitos, muitos títulos que poderia adicionar a esta lista, mas aqui ficam alguns. E vocês, que género escolhiam e que livros?

You Might Also Like

5 comentários

  1. Olá,

    Boas escolhas sem duvida e alguns até já li :D

    Escolher dez livros é isso ?

    Martin
    Jordan
    Scott Lynch
    Joe Abrecombie
    Collen McCollough
    Dan Simmos
    Frank Herbert
    Gary Jimmings
    Bernard Cornwell
    Robin Hobb

    E devem ficar tantos para trás rsrsrs

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, ficam sempre muitos para trás :)

      Beijinhos e mal possa vou ao teu cantinho amigo ^^

      Eliminar
  2. Também tenho de ir acabar de fazer o meu. Também o dediquei aos romances ;).

    Da tua lista só li a ilha e gostei muito :).
    Quero muito ler "Orgulho e preconceito". Já vi o filme e gostei imenso ;).
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mal possa dou uma espreitadela na tua lista :) A Ilha foi a minha primeira leitura da autora, entretanto não tive mais oportunidade de ler alguma coisa dela, mas fiquei curiosa!

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Eu já li "O regresso". Também gostei, mas não me encantou tanto como "A ilha". Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.