Book Blogger Hop #6

abril 16, 2014


Como é que lidas quando autores te pedem para leres os seus livros? Aceitas ou recusas?

Isto não é muito comum acontecer, para dizer a verdade. Até agora, aconteceu duas, três vezes. Nunca recusei, pelo menos até agora - nunca tive motivos para dizer que não. Mas sempre expliquei aos autores que posso demorar algum tempo a ler e a escrever a opinião. Depois ficam em fila de espera, até conseguir metê-los entre leituras.

Neste momento tenho dois livros nesta situação, que encontram na barra da esquerda do blogue: The Second Lives of Honest Men e Arctic Wargame. Vou ler, e escrever a minha opinião, mas será no momento em que puder ser.

E vocês, já vos aconteceu isto? Como reagiram?

You Might Also Like

2 comentários

  1. Ois,

    agora entendi como posso acompanhar o que andas a ler e o que tens planeado ler :D

    Não tenho bem ideia, mas nada tenho para ler pedido por um escritor :)

    Acho que fazes muito bem ;)

    Bjs e boa Pascoa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hehehehe :) Eu tento manter a barra esquerda o mais actualizada possível, mas nem sempre consigo... mas sim, dá para ter uma ideia :P

      Já passei no teu cantinho, já estava mais do que atrasada! Gostei das novidades ^^

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.