[Dewey's Read-a-Thon] Hour 1 & 2

abril 26, 2014

So, Hour 1 had no challenge, but Hour 2 brought the Pick a Paragraph and Win a Book Challenge, and all you had to do was this:

1) Pick a paragraph or a quote from the book you’re reading now.
2) Write it down below this post.
3) Add the author of the book and the title.
4) Send your comment along with your name, email and a blog if you have one.

My answer was this:

"O incidente com Florinda Cozinheira também fora comentado: Para intensificar os sentidos, abusara do frasco castanho e andara todo o dia cheia de dores de cabeça, a queixar-se que tudo lhe parecia excessivo e baralhado: dizia que as especiarias cheiravam a cores, conseguia escutar a consistência das coisas e que os barulhos zumbiam perfumes nos seus ouvidos."

"A Ilha de Melquisedech", by Vera de Vilhena

Also, Hour 2 was accompanied by a very funny song (Hour 1 also had a song, but it was not available in Portugal).


You Might Also Like

3 comentários

  1. 2 - 4 - 6 - 8 - Who do we appreciate? #DEWEY

    I'm so glad you like my challenge. Have a great time and enjoy your book! :D

    ResponderEliminar
  2. Happy reading! How's your reading going? Hope it's going well :)

    ResponderEliminar
  3. Thank you my dear girls! Have a great Read-a-thon too!

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.