Li até à Pág.100 #66

maio 05, 2014

- The Last Priestess -
A Ler

Primeira frase da página 100:
"Pulling in a deep breath, Rovann sprang from his hiding place, calling up Air as he did so."

Do que se trata o livro?
The Last Priestess narra a história de Rovann e Maegwin, ele um Lord First, o Mago do Rei, e ela uma sacerdotisa de Sho-La, que se conhecem em estranhas circunstâncias (ele salva-a da morte certa por enforcamento após ter sido acusada de homicídio). Acabam por se ver juntos numa luta contra o Songmaker e outros traidores, acompanhados de Leo e outros amigos (pelo menos até agora, é isto).

O que está achando até agora?
Ao início estava a ser um pouco aborrecida mas agora está-se a tornar mais interessante.

O que está achando da protagonista?
Maegwin é uma personagem bastante interessante, com muito ainda por revelar. Há uma maldade latente em si que ainda está por ser explicada, apesar dos eventos traumáticos que já foram revelados. E, claro, estou ansiosa que ela se apaixone por Rovann ou então por Hannel.

Melhor quote até agora:
Nenhuma.

Vai continuar lendo?
Sim.

Última frase da página:
"Rovann could smell the man’s sour breath as he punched a knife into Rovann’s chest."

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.