segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Hemlock Grove, de Brian McGreevy - Opinião

Hemlock Grove
Título: Hemlock Grove
Título Original: Hemlock Grove
Autor: Brian McGreevy
Editora: LeYa Brasil
Ano de Publicação: 2013
Número de Páginas: 340

Devorei a série Hemlock Grove e adorei, apesar de todas as questões em aberto. Quando descobri que o programa foi adaptado de um livro, não descansei enquanto não o li. Esperava encontrar as respostas às muitas perguntas que me preenchiam a cabeça. Apesar de não ter tido solução para tudo, é um livro fantástico, obrigatório para os fãs da série.
Hemlock Grove (que traduzido seria qualquer coisa como bosque de cicutas, uma planta venenosa) conta a história de uma cidade onde grotescos assassínios intrigam a polícia e cujas suspeitas recaem sobre Peter Rumancek, um cigano e suposto lobisomem. Peter, juntamente com Roman Godfrey, herdeiro de um vasto império, tentam descobrir quem de facto é o assassino, enquanto lutam com os seus próprios medos e segredos obscuros. Enquanto história, é interessante, apesar de ter bastantes falhas. Há um sem número de questões que ficaram por responder, o que acaba por tornar a leitura ligeiramente frustrante. Mas não se apoquentem, pois apesar das dúvidas que ficam, o livro é na mesma excelente. Imagino como seria se tudo ficasse esclarecido...!
O desfecho do mistério sobre quem é o assassino é completamente inesperado. Não é de todo o mais óbvio dos personagens, e o modo como a trama está escrita nunca nos levaria a desconfiar de quem na verdade é. Confesso que a sua descoberta me deu um certo prazer, pois é um personagem com quem embirrei logo desde o início.
O próprio desenvolvimento entre as personagens é muito bem trabalhado. As relações amorosas que se vão estabelecendo, até a relação entre Peter e Roman... quem não espera por mais? Quase todas as relações pessoais em Hemlock Grove têm um crescendo de tensão, e sabemos que em algum ponto tudo vai rebentar, e enquanto leitores sentimo-nos desejosos que isso aconteça. O livro tem esse poder sobre nós. Por mais estranha que se torne a história, por mais estranhas que sejam as questões levantadas, McGreevy consegue manter o leitor preso página após página, sempre suspenso e ansioso pelo momento seguinte.
A criação das personagens e os laços que as unem é brutal. A homossexualidade não reconhecida de Roman para com Peter (sobretudo) é bastante interessante. Estas duas personagens são fantásticas, mas brilhante mesmo é Roman, pois Peter por vezes consegue ser muito irritante, e não é tão completo quanto Roman. Mas as restantes personagens são também espantosas: Olivia, a calculista quase-mãe-galinha estranhíssima de Roman; Shelley, a irmã misteriosa e trágica; Destiny, prima de Peter, com a sua maneira leve de levar a vida; e outras, que vão dando colorido e profundidade ao livro, cada uma à sua maneira.
Como ponto negativo de tão boa leitura, fica mesmo o que já disse anteriormente: as perguntas em aberto. O que aconteceu de facto a Shelley? Onde, como, quando, qual a explicação das linhagens de Roman e Peter? Entre outras...
Não posso deixar de falar uma vez mais da série. Este é um dos casos em que a adaptação é tão boa ou melhor do que o original. Tive, aliás, a sensação de que estava a ler o guião e não o que realmente é, um fantástico livro. Muita pouca coisa é alterada na série, sendo tudo tão fiel que até os diálogos são, por vezes, iguais. Uma excelente adaptação, com um aspecto gráfico muito bom e uma escolha de actores fabulosa. Aconselho vivamente.
Quanto ao livro, Hemlock Grove é doutro mundo. Uma história incrível, com personagens inquestionavelmente perfeitos. Uma fuga necessária aos estereótipos do mito do lobisomem e criaturas que tais, com um final que vos vai deixar completamente arrebatados e a desejar mais.


2 comentários :

  1. Ois,

    Bem depois de um comentário destes, bolas já percebi que é altamente recomendado :)

    Registado

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)