2015!

janeiro 01, 2015


E entra um novo ano!

Antes de mais, desejo-vos sinceramente um ano fantástico, com tudo de bom em todas as áreas. Façam de 2015 o vosso melhor ano! :)

Passando ao Eu e o Bam, este ano não vou entrar em nenhum desafio, pois sei que o tempo para ler é muito pouco e vou estabelecer uma meta bastante pequena, de 15 livros. Eu sei, é pouco, mas é a realidade; o meu trabalho não me permite muito tempo livre, e nem sempre tenho paciência para ler.

2015 traz um novo projecto para o blogue, que é algo que eu queria há imenso tempo mostrar-vos mas que nunca tive oportunidade ou coragem para o fazer. Coragem no sentido que deveria ser feito em vídeo, e eu sou tímida demais para essas coisas. Assim, será feito em fotografia, outra grande paixão que está adormecida em mim. A componente fotográfica será mínima, mas sempre me dá uma desculpa para pegar na máquina (que, sinceramente, já nem sei se funciona!). E do que se trata?

365 dias de livros, os meus livros, a minha biblioteca. Sim, quero mostrar-vos os meus meninos, os meus orgulhos, um por um, um por dia. Espero que gostem...

Ainda hoje vão ser revelados os dois vencedores do passatempo de aniversário e Natal, portanto fiquem atentos.

Um excelente ano!

You Might Also Like

1 comentários

  1. Ois,

    Muito bem, ano novo desafio novo e mesmo lendo pouco acho que é por uma boa causa, nada como termos o nosso emprego :)

    Bom ano de 2015

    Bjs

    ResponderEliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.