quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

A Guardiã, de António Parada - Opinião [Chiado Editora]

A Guardiã
Título: A Guardiã
Autor: António Parada
Editora: Chiado Editora
Ano de Publicação: 2014
Número de Páginas: 542

A Guardiã chamou-me à atenção não propriamente pelo livro em si, mas pela promessa que envolvia: os fãs de heavy metal identificar-se-iam com a livro*. Ora, sendo eu fã deste tipo de sonoridades (apesar de não gostar de heavy metal, mas isso são outros quinhentos), não podia deixar passar esta leitura.

A história é sobre um inspector da Polícia Judiciária que começa a ter pesadelos acerca de um homicídio, que acabam por se tornar realidade. Ao longo da trama, Henrique vai-se apercebendo de que afinal não estamos sós no Universo, e que é o escolhido para defender o planeta dos assassinos extraterrestres. Para ser sincera, apesar da premissa não me fascinar, gostei do livro. No entanto, tem alguns pontos negativos que tornaram a minha leitura mais morosa e bem menos agradável do que estaria à espera.
Começando pelo personagem principal, Henrique... Só pensa em sexo. Se não é com a colega de trabalho, é com a outra que trabalha-não-sei-onde. Isto enquanto é casado, aparentemente bem casado, e pai de uma menina! O sexo não me incomoda nos livros, mas cada coisa tem o seu lugar, e n'A Guardiã pareceu-me excessivo e desproporcionado.
Depois, o desenrolar da história é previsível e não é preciso muito para sabermos como as coisas se vão suceder. O próprio livro é um spoiler enorme. Para os que o leram, certamente entender-me-ão; aos futuros leitores, compreenderão o que eu quero dizer nos primeiros capítulos.
Por fim, é um livro demasiado grande para a história que tem. Descrição em exagero, como eu já não lia há algum tempo. Isto vindo de uma leitora que gosta de livros grandes e descritivos... Quando as descrições são bem feitas, não tenho nada contra - muito pelo contrário -, mas quando se gasta meia página só para dizer que o Henrique acendeu a televisão... para mim, não faz sentido. Isso aliado com os erros ortográficos que, com uma frequência maior do que a desejada, saltavam à vista, ajudou a uma leitura menos emocionante.
Também há pontos positivos no livro, eu é que não os consigo especificar. Tal como disse anteriormente, eu gostei do livro, apesar do que acabaram de ler. Não sendo um tipo de leitura à qual estou habituada, a experiência foi razoavelmente boa. E, embora conheça as bandas apresentadas pelo escritor, musicalmente identifiquei-me com poucas, mas sobre esse aspecto não me alongo. A sensação com que fiquei é que o livro é bem vendido, mas devia corresponder um pouco mais às expectativas.

Para quem gosta destes temas, A Guardiã poderá ser uma alternativa leve e até surpreendente (quiçá). Mas, acima de tudo, A Guardiã é escrita por um dos nossos, António Parada, e lermos, conhecermos e divulgarmos os nossos escritores nunca é demais.

* Já não sei ao certo qual é a fonte desta afirmação, mas a primeira vez que vi o livro foi precisamente isso que me chamou à atenção. Agora onde...

4 comentários :

  1. Ois,

    Sendo assim vou passar até estava numa de o pedir, mas felizmente tenho muito por ler ;)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá migo,

      Podes ler na mesma, quem saiba até podes gostar! Aliás, lê a actualização que fiz no post, pode ser que até te motive :)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Olá. Fui desafiada para responder a uma tag muito interessante que nos permite descobrir novos blogues. E agora é a tua vez... Deixo-te aqui em baixo o link para responderes. Beijinhos :)

    http://beautyanddarkthings.blogspot.com/2015/01/tag-liebster-award.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida :) Eu já tinha visto a tag no teu blogue, vou ver se ainda esta semana consigo responder ^^

      Beijinhos!

      Eliminar

Obrigada por comentares :)