Halloween - Um Ano Depois

março 18, 2015

É verdade, hoje faz um ano que publiquei o meu conto, Halloween, através da Smashwords. Um ano! O tempo passa muito rápido...

Para quem ainda não o leu, não sei o que esperam :)


Não posso dizer que a recepção tenha sido má, muito pelo contrário. Infelizmente, ou felizmente, passado pouco tempo deixei de ter praticamente tempo para escrever, o que afectou o blogue, como sabem, bem como a minha Escrita. No entanto, penso que não há melhor maneira de comemorar este aninho do que com uma promessa há muito tempo feita: presentear-vos com mais alguma coisa minha (isto soa extremamente convencido, não acham?).

Como ainda não estou pronta para tal e esta ideia a modos que surgiu em cima da hora, não vos deixo aqui nada completo, mas sim os primeiros capítulos do livro que estou a escrever agora, A Virgem do Zodíaco. O título é provisório, e o tema é um dos que mais me fascina, assassinos em série. Os capítulos não são definitivos, para já o início da história é este, mas quem sabe...

Podem fazer o download aqui. Quaisquer comentários, bons e maus, são bem-vindos.

Obrigada a todos e a cada um por tornarem este sonho possível, obrigada a todos os que me apoiaram e obrigada a todos os que me leram.

You Might Also Like

1 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.