[Novidades] Bizâncio - Maio

maio 19, 2015

QUE ESPERAM OS MACACOS,
de YASMINA KHADRA

Uma jovem estudante é encontrada assassinada na floresta de Baïnem, perto de Argel. Uma mulher, Nora Bilal, é encarregada de conduzir a investigação, longe de pensar que a sua rectidão é um perigo mortal num país entregue aos tubarões de águas turvas. 

Que Esperam os Macacos é uma viagem pela Argélia de hoje onde o Mal e o Bem se sentem constrangidos no meio dos malefícios naturais dos homens.

COLECÇÃO: MONTANHA MÁGICA | PÁGINAS: 272 | PVP: 14€

O PACÍFICO DE LÉS-A-LÉS,
de MICHAEL PALIN

Michael Palin viajou por dezoito países do Pacífico, o maior oceano do mundo. Desde caçadores de cabeças em Bornéu até uma refeição de gusanos no México, o seu itinerário leva-o a alguns dos locais politicamente mais instáveis e fisicamente mais exigentes que existem à face da Terra. Escala uma das Montanhas Sagradas da China, navega entre icebergues no Chile e comove-se nas margens do Amazonas, nesta espectacular viagem de contrastes, dramatismo e beleza.

PÁGINAS: 384 | PVP: 15,90€

You Might Also Like

2 comentários

  1. Ois,

    Mais um livro do Kadra que bem, conto ler os dois, para breve está o do pacifico, para variar um pouco :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Fiacha,

      Também espero ler o de Khadra :)

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.