quarta-feira, 22 de julho de 2015

Book Blogger Hop #19


Ouves audio-livros?

Não, com muita pena minha. Mas é mais uma questão de falta de oportunidade do que outra coisa. Uma vez tentei, mas achei a voz da narradora tão enfadonha e tão sem ritmo que preferi não ouvir mais aquilo. Mas gostava de passar por uma boa experiência deste tipo de leitura para poder formar, com toda a certeza, a minha opinião

Um familiar falou-me, e mostrou-me, uma colecção de audio-livros de clássicos portugueses, cuja narradora me pareceu bastante boa; mas até agora ainda não pude aderir a esta forma de leitura - e já não me lembro onde é que ele os encontrou.

E vocês, leitores? O que acham dos audio-livros? Há pessoas que consideram uma forma de fazer batota sobre a leitura. Qual a vossa opinião?

9 comentários :

  1. Olá! Eu adoro audiolivros. Como ando muito a pé são a melhor forma para continuar a ler. além de que o posso fazer enquanto lavo a louça, cozinho ou arrumo a casa. Muito prático e o que custa são os primeiros dois (porque habituarmo-nos a escutar outra pessoa a ler um livro pode ser um choque no início) e depois é sempre a andar. Pena é haver poucos em português mas em inglês a oferta é enorme.
    Se conseguires perceber o inglês aconselho-te ouvir as adaptações da série "Leviathan" do Scott Westerfeld ou para algo mais descontraído a série "Artemis Fowl" de Eoin Colfer, já que em termos de narração são dos melhores que vi até hoje e são bons livros de se ouvir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana,

      Obrigada pelas sugestões! Ainda por cima, a série Artemis Fowl sempre me despertou imenso a atenção, mas recentemente li que se tratava de algo um bocadinho infantil, e fiquei na dúvida... posso estar a dizer um disparate enorme, mas já nem sei onde li isso. Ouvi-la seria definitivamente uma maneira mais fácil de conhecer a obra... Hei-de fazer umas pesquisas :)

      Eliminar
  2. Não acho que seja batota. Pelo contrário, até pode ajudar aqueles que têm dificuldade a estar quietos com um livro na mão. Audiobooks dá-lhes a oportunidade de ler/ouvir um livro enquanto conduzem ou fazem outras actividades e a) não acham que estão a perder tempo; b) conseguem ter acesso a literatura que é isso que realmente interessa.
    Pessoalmente não consigo. Tentei uma vez ouvir uma série em formato podcast em que todo o conceito interessava-me, mas dava por mim com a mente a divagar e quando percebia já nem conseguia apanhar o fio à meada. Adorei aquilo que consegui ouvir (narrador cativante, as histórias todas muito scifi-ish), mas sem ter algo em que focar os olhos torna-se difícil para mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Roslin,

      Exactamente o mesmo que eu! Começava a divagar e depois já não sabia a quantas ia. Mas estou disposta a tentar uma vez mais, com bons narradores. Quem saiba não haverá sequela a este post :P

      Eliminar
  3. Ois miga,

    Antes demais espero que esteja tudo bem por ai e tenhas tido umas boas férias :)

    Não te posso ajudar pois nunca experimentei e não penso faze-lo acredito que possa ser um tipo de leitura que tenha mercado e util por exemplo para um cego :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou mesmo cheia de saudades das minhas férias... xD

      Sim, para uma pessoa que seja cega é a maneira ideal de continuarem a poder conhecer os livros. Quando fui à Biblioteca do Porto eles falaram-me disso, se não estou em erro, foram dos primeiros sítios a disponibilizarem audio-livros para as pessoas com problemas de visão.

      Beijinhos

      Eliminar
    2. “A Biblioteca Sonora da Biblioteca Pública Municipal do Porto foi oficialmente inaugurada a 16 de março de 1972, inspirada na experiência da Students Tape Library do Royal National Institute for the Blind (Reino Unido). Pioneira no País, teve e continua a ter por missão proporcionar gratuitamente aos cidadãos portadores de deficiência visual (cegos e amblíopes) uma alternativa preferencial - leitura gravada nas suas componentes de produção e de distribuição - relativamente aos documentos originais existentes em suporte gráfico. Serviço público de manifesto alcance e utilidade social e contribuindo expressivamente para a formação e inclusão do seu público-alvo, a locução das obras gravadas na Biblioteca Sonora é atualmente realizada por locutores voluntários cujo contributo é fundamental para o funcionamento do serviço.”

      Eliminar
  4. Olá, olá! Nunca achei muita piada à ideia aos audio-books, tenho a sensação que tira um pouco a magia da história. Basta uma frase ser lida com uma entoação diferente e a história muda logo! Claro que este aspecto até pode ser favorável em alguns casos, mas não me convence. Mas confesso que sou um pouco leiga neste assunto pois os únicos que conheço vêm do meu tempo de criança, de uma colecção de livros da Disney que traziam umas K7 a acompanhar. As K7, meti-as num canto qualquer mas os livros li-os e reli-os vezes e vezes sem conta. Enfim, são gostos. :)
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Andreia!

      Sim, tal como dizes, são gostos. Sem dúvida que traz as suas vantagens, mas é uma discussão com pano para mangas. Eu ainda não consegui, mesmo assim, formar uma opinião consistente. Acho que me vou aventurar e depois a ver vamos como é que é :)

      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada por comentares :)