A Court of Thorns and Roses, de Sarah J. Maas - Opinião

janeiro 07, 2016

16096824
Título: A Court of Thorns and Roses
Série: A Court of Thorns and Roses #1
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Bloomsbury Children's
Ano de Publicação: 2015
Número de Páginas: 416

Há muito tempo que estava curiosa sobre ler um re-telling, mas a decisão foi sendo sempre adiada, pois outros livros metiam-se pelo caminho. Até que a oportunidade surgiu numa leitura conjunta; para além dessa motivação, o facto de ser um re-telling d'A Bela e o Monstro, o meu conto de fadas favorito, tornou o livro numa leitura obrigatória. Confesso que não estava com grandes expectativas, desconhecia a autora e era a minha primeira leitura deste género... o que deu, talvez, um gosto especial ao chegar ao fim do livro e o ter adorado.

A Court of Thorn and Roses conta a história de Feyre, que por ter matado um ser encantado é forçada a abandonar a sua família (que a tratava muito mal) e a servir um príncipe do Povo Encantado - era isto ou a morte. Com o desenrolar da intriga e o aparecimento de novas personagens, a história vai-se tornando cada vez mais viciante e de um momento para o outro só respiramos espinhos e rosas.
A relação entre Feyre e Tamlin é bem trabalhada. É apaixonada e dura, deixando os fãs de romance satisfeitos. Mas, apesar do dom inegável de Sarah J. Maas a contar histórias, a sua perícia na criação de personagens e nas suas relações é de louvar. Sim, Feyre, Tamlin, Lucien... fantásticos. E depois chega Rhysander. Quem não suspirou com a sua chegada? Quem, secretamente ou não, não deseja ver o seu envolvimento na história cada vez mais marcante? É esta a promessa do próximo volume, que eu estou ansiosa por ler.
Mais do que uma boa história, A Court of Thorns and Roses apresentou-me a uma autora de excelência - espero eu, pelo menos. Foi finalmente publicada em Portugal no ano passado e ando perdida no seu Trono de Vidro.

Para amantes de re-tellings e fantasia, corram já a ler Sarah J. Maas, uma escritora que certamente vos irá transportar para outros mundos.

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.