sábado, 2 de janeiro de 2016

O Assassino de Kyo, de Nuno Carvalho - Sinopse & Opinião [Chiado Editora]

Título: O Assassino de Kyo
Série: A Guerra do Destino
Autor: Nuno Carvalho
Editora: Chiado Editora
Ano de Publicação: 2015
Número de Páginas: 738

Em Akath, não existe um sítio tão assolado por guerras e conflitos como a Ilha de Kyo.”
Dominada por esquemas, traições, assassínios, monstros fantásticos e heróis de lendas, a Ilha de Kyo é um dos sítios mais enigmáticos do continente de Akath.
A morte é um conceito que é vivido pelos seus habitantes e pelos seus territórios.
Há vinte anos, fruto da Separação, quatro facções lutam para tomar o controlo desta misteriosa região.
Drek’thar, um jovem de vinte e dois anos, treinado desde criança na arte do assassínio, vê a sua vida virar de pernas para o ar após uma carta de Urnard Throon, antigo rei dos Homens de Kyo e Chefe de Guerra do Pacto dos Corações de Ferro. O líder pede, explicitamente, que Drek se torne o seu assassino pessoal, num propósito que apenas o carismático governante conhece.
Que missões esperam o jovem assassino? Que segredos esconde a Ilha? Serão as intenções de Urnard as melhores? Que dificuldades irá Drek enfrentar?
O Assassino de Kyo conta a história de Drek na primeira pessoa, à medida que se vai conhecendo os conflitos mentais do jovem, as adversidades que o esperam e os terríveis mistérios que se escondem no passado, mas também no dia-a-dia da Ilha e de Drek.

***************

I like big books and I cannot lie! Sim, um dos motivos que me levou a querer ler O Assassino de Kyo foi o seu aspecto pesado, que aliado a uma sinopse promissora, rapidamente o tornou um livro a-ler-num-futuro-próximo.
Sendo a fantasia um campo onde pouco há a surpreender, é sempre uma aventura enveredar por um autor cujo nome e obra nunca ouvimos falar. Tenho sempre aquele receio de ser uma perda de tempo, e dedicar tanto tempo a um livro que nada me acrescenta é um pequeno luxo ao qual não me posso dar - so many books, so little time! O Assassino de Kyo revelou-se uma aposta certa e ganha, pois trata-se de um livro muito bem conseguido e uma leitura bastante agradável.

A história é sobre Drek, um humano num mundo ameaçado e que é treinado desde novo a servir o Pacto, pela paz no mundo. No entanto, essa paz é constantemente ameaçada e várias situações são levadas ao limite, testando o nosso herói e moldando-o. Parece uma história como tantas outras, mas a verdade é que a forma como Nuno Carvalho narra a intriga é muito boa, conseguindo manter o leitor agarrado página após página. É uma escrita muito simples, muito fácil de digerir e compreender, mas que quase que por magia nos torna súbditos das suas palavras e torna-se difícil pousar o livro.
O autor consegue criar, também, personagens verdadeiramente boas. Drek é o exemplo perfeito: credível e real, está de tal modo bem construído que, quando chegamos ao final do livro, custa-nos despedir dele. É uma personagem bastante normal, mas a vida e carácter que Nuno Carvalho lhe imprime tornam-na quase palpável.
A apontar algum defeito a este livro, teria de ser injusta, pois trata-se de algo meramente pessoal e do qual nada de mal há a apontar ao autor. Mas as descrições de lutas... sempre foi uma coisa que me aborreceu um pouco; no entanto, estão até muito bem explicadas e vívidas. Eu é que nunca fui grande fã...
Por outro lado, o ponto alto do livro é quando o autor se mostrou corajoso e matou algumas personagens. Trata-se de algo inesperado, mas a forma como a narrativa se desenvolve em torna disso apenas melhora a história. Hoje em dia é quase moda matar personagens, mas Nuno Carvalho fê-lo com excelência.

Altamente recomendado e um autor a manter debaixo de olho. O Assassino de Kyo ainda nos promete muitas aventuras, e eu estou ansiosa por as conhecer.

Conheçam mais sobre o autor e os seus livros aqui e aqui.

2 comentários :

  1. Em primeiro lugar, quero agradecer a sua opinião sobre "O Assassino de Kyo". Confesso que vi, há uns dias, que iria colocar uma opinião sobre o livro e, por isso, fiquei bastante curioso para a ler.
    Também confesso que não estava nada à espera das suas palavras. Sinto-me bastante lisonjeado!
    Como costumo dizer, o meu objectivo como autor é "tocar no coração" dos meus leitores, tal como os autores de todos os livros que li fizeram comigo.
    Sinto que cumpri esse objectivo.
    Muito obrigado, mais uma vez, pelas suas palavras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Nuno,

      Bem-vindo ao Eu e o Bam :) De nada tens a agradecer. Se fizeste um bom trabalho, tens de te sentir orgulhoso disso, e é justo a recompensa dada pelas palavras :)

      Um bom ano e que esta seja a primeira de muitas opiniões positivas de 2016!

      Eliminar

Obrigada por comentares :)