Li até à Pág.100 #80

março 24, 2016

- Demónios de uma Mansão -
A Ler

Primeira frase da página 100:
"[O seu corpo ainda rebentava de dores, especialmente o ombro onde tinha sido atacado, com o qual, três meses antes, tinha embatido contra a entrada] da biblioteca."

Do que se trata o livro?
Demónios de uma Mansão conta a história de uma família inglesa que se muda para Portugal e que fica numa mansão com muito por explorar. Os três filhos da família fazem precisamente isso nos tempos livres, mas se calhar vão descobrir coisas que seria melhor terem ficado escondidas.

O que está achando até agora?
Estou a adorar o livro. Não esperava gostar assim tanto, mas estou a gostar mesmo muito.

O que está achando da protagonista?
Não há um protagonista, há três: Michael, Gabriel e Rafael, os três irmãos. Não são personagens fáceis de me identificar pois são três rapazes adolescentes, mas parecem-me personagens sólidas.

Melhor quote até agora:
Nenhuma.

Vai continuar lendo?
Estou ansiosa para chegar ao fim.

Última frase da página:
"O que quer que fosse, parecia não querer largar, mas Michael e Rafael estavam determinados a fazer o mesmo, e acabaram por ganhar a batalha quando, num repente, Gabriel foi solto e os três caíram [sobre os primeiros degraus]."

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por comentares :)

Um livro é muito mais do que um volume transportável. Um livro é uma mala que levamos connosco quando vamos viajar, pois nele temos tudo o que precisamos. Um livro é mais do que um bem comercializável, é o orgulho de carregar a alma em palavras do seu autor. Um livro é mais do que um livro, ao fim e ao cabo. É o nosso pai e a nossa mãe quando se precisa, nunca esperando mais de nós mas sempre lá para nos dar uma lição. É mais do que um amigo, pois não nos julga, não nos faz perguntas; ouve o nosso interior e responde às questões que nem nós sabíamos que tínhamos cá dentro. Um livro é mais do que um amante, duro como a realidade: umas vezes sonhamos e deleitamo-nos nas suas folhas, outras deixamos dobradas, riscadas, magoadas, outras deixamos a um canto e nunca mais olhamos. Desperta em nós uma panóplia de sensações: o toque da capa, da folha; o cheiro das páginas; o prazer da beleza da capa, das letras. Um livro é mais do que isto tudo, e ainda mais do que isso. Porque com ele viajamos, sonhamos, vivemos, aprendemos, amamos, sentimos, choramos e rimos, tudo sem sair do sítio. E uma façanha destas, vinda de algo tão pequeno e tão frágil, é quase comovente.